O Exterminador de Técnicos.

Pouco mais de 3 meses após um título que ninguém esperava, e que foi conquistado como o Palmeiras de sempre, hoje somos chamados de volta à nossa dura realidade, como o Palmeiras dos últimos 15 anos.

A culpa é do Marcelo e só dele? Não, só dele, não.

Ele tem a maior parcela, mas não está sozinho nisso.

Tem maior parte da culpa porque, primeiro, começou o ano absolutamente sossegado, com um título de magnitude nacional na bagagem. Segundo, porque teve mantida a base de um time campeão, como poucos conseguiram fazer, e ainda recebeu reforços. Contratações certas ou erradas, jogadores bons ou ruins, não importa, o fato é que houve reforços, tendo ele certamente participado da escolha. Por fim, ele foi um dos poucos técnicos a ter o privilégio de iniciar um trabalho, liderar o projeto, encabeçar o planejamento. Algo que todos os treinadores brasileiros, sem exceção, sonham fazê-lo em janeiro.

Tudo foi feito exatamente como manda a “Cartilha Contra a Cultura Brasileira de Demitir Técnicos de Futebol a Curto Prazo”

Por isso tudo, sim ele tem a maior parcela de culpa. De fato, é bem difícil entender a razão dessa bolinha que o time joga.

E de antemão, digo que, apesar de tudo isso, não acho que teria de ser demitido o treinador.

É que tem outro fator nessa história. Muito mais preocupante.

Técnico que sofre crítica por escalar este, não aquele, por usar aquela tática que deu certo em 93 e não essa de hoje, que gosta de chuveirinho e não de bola no chão, isso é normal e faz parte do futebol. Acontece com o Zidane no Real Madrid, com o Guardiola no Bayern, com o Bauza, Tite; talvez não ocorra apenas com o Luis Henrique…

E no Palmeiras, exclusivamente, o técnico não cai por isso.

Temos hoje uma diretoria moderna, que tenta implantar no departamento de futebol uma administração futurística para os padrões nacionais, conduta esta que também era adotada com a comissão técnica, pois resistia-se, até hoje, em demitir o Marcelo por conta de maus resultados.

Mas, como dito, no Palmeiras o treinador não cai apenas por este motivo.

Costumeiramente, NÓS SOFREMOS DERROTAS SIMPLESMENTE I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-I-S, daquelas que fazem do Palmeiras o maior gerador de memes da história do futebol na era pós internet.

Na esteira dessas derrotas épicas, segue-se um abalo psicológico dos jogadores que nem mesmo Freud explica. Aí vira bola de neve… Imprensa carniceira, perda de comando, vestiário bagunçado e tudo o que a gente já conhece bem.

É difícil sair deste ciclo vicioso, sobretudo quando se tem um elenco cheio de jogadores fracos – leia-se “bunda moles” – que exalam falta de confiança. Basta ver em cada close das câmeras, a expressão dos jogadores do Palmeiras. Absolutamente apavorados, perdidos…

Mais que um camisa 10, um lateral esquerdo e um zagueiro, o Palmeiras precisa de jogadores que apenas tenham coragem de jogar no Palmeiras.

E é por isso tudo que acho que no nosso caso, o culpado concorrente, o responsável solidário por mais uma crise, é aquele que deixou o time ser rebaixado 2 vezes…

É aquele que não consegue vencer um bendito Campeonato Brasileiro há 22 anos…

É quem “caga nas calças” quando joga em casa contra time pequeno…

É quem permitiu a criação deste estigma lazarento que insiste em nos perseguir…

Sim, amigos, é o próprio Palmeiras.

Então, ressalvadas todas as possíveis falhas, Marcelo é mais uma vítima dessas duas últimas décadas… Foi assim com Muricy, com o Luxemburgo, com o Felipão, Gareca e etc…

Que venha o próximo “melhor técnico do Brasil”!!!

E aqui estamos nós… De volta ao ponto de partida…

Na verdade, acho que jamais saímos dele…

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião