A peteca não pode cair

Depois de dez jogos, incluindo a Copa do Brasil, perdemos a invencibilidade. Diante de um adversário qualificado como o São Paulo, mesmo com toda sua bipolaridade, qualquer erro poderia ser fatal. E o Grêmio acabou sendo surpreendido por dois contra-ataques fulminantes, que culminaram com a derrota de 2 a 1, na Arena.

Apesar do resultado, o Tricolor gaúcho segue (muito bem) no Brasileirão. Digo e repito: com Roger Machado no comando, podemos ter confiança.

A regularidade conta a nosso favor. Tanto que estamos no G-3, quatro pontos à frente do Flamengo. Vamos agora para duas partidas consecutivas longe do Rio Grande do Sul.

Amanhã, às 21 horas, o Grêmio visita o Atlético-PR no Couto Pereira, em Curitiba. O Furacão ainda briga pelo G-4.

No sábado, é a vez do Palmeiras, às 18h30, no Pacaembu, em São Paulo. Outra equipe que também sonha com a classificação à Copa Libertadores da América.

Restam 13 rodadas e o que mais queremos é ver o Tricolor se mantendo entre os líderes. A coletividade sobressai em campo. Lá, no início, podíamos desconfiar do que o time apresentaria nas quatro linhas. Hoje, não.

O bom futebol, com troca rápida de passes e contragolpes eficientes, é a marca do Grêmio de Roger. A estratégia é não perder o foco e absorver as críticas daqueles que duvidavam da capacidade do time. E ainda disputaremos as quartas de final com o Fluminense na Copa do Brasil.

Com todo o respeito ao Tricolor carioca, temos plenas condições de carimbar a vaga. Enquanto estamos bem nas duas competições, o lado vermelho do Estado tenta (há várias rodadas, diga-se de passagem) ingressar no G-4.

Como eles oscilam demais, vão ter que comer muito arroz e feijão para chegar lá.

Mas, e a gangorra? Segue pendendo para um lado no Campeonato Brasileiro.

Saudações tricolores!! Parabéns ao Grêmio, 112 anos de fundação hoje.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião