Ano novo, velhos problemas…

O ano de 2016 foi um daqueles que não tem quase nada de bom pra ser lembrado no futebol das Laranjeiras. O Peter (presidente) encerrou sua participação no comando tricolor, fazendo de Abad seu sucessor. Terminamos o ano com uma das piores marcas da história do clube. Dez partidas sem saber o que é sentir o gosto da vitória.

Para alguns entusiastas o presente de Papai Noel foi no comando do time: Abel Braga. Eu me incluo nessa faixa de torcedor, apesar de não concordar muito com seu sempre mau humor.

Então começamos 2017 com uma ‘renovação’ (nem tão nova assim), mas que impõe um certo respeito nos jogadores. E eles sabem que se não derem o máximo de si, não terão oportunidades com o Xerife.

A nova diretoria não nos presenteou com nenhum craque. Trouxeram apenas os equatorianos que já estavam contratados pela gestão anterior. E o tão questionado lateral Lucas, que a cada temporada fica devendo mais do que promete.

Nossa zaga será motivo de muito ‘tarja preta’ durante este ano. Foi o que vimos no primeiro jogo oficial do ano. O setor de marcação foi totalmente envolvido pelo fraquíssimo time do Criciúma e, para relembrar os velhos pesadelos, tomamos dois gols de cabeça, como fora durante os últimos anos.

É cedo pra se ter um diagnóstico de como o Abel fará para esse time fluir. As estreias dos equatorianos foram boas, principalmente do Sornoza. Perdeu um gol cara a cara com o goleiro, mas fez o jogo andar, diferentemente do nosso curinga anterior que, de cem passes que dava, noventa e oito eram para trás da linha da bola.

E claro que faltou a estrela maior do time, já servindo a Seleção Brasileira: Gustavo Scarpa. Falta-nos também um 9. Dourado não merece essa camisa. E o jovem Pedro ainda é uma promessa, apesar do belo gol de ontem.

Claro que ainda temos que comemorar as saídas de Magno Alves, Wellington Silva e Cícero. Mas na nossa lista ainda tem outros que poderiam ter embarcado para outros portos: Pierre, Oswaldo e o próprio Dourado. Não nos fariam nenhuma falta.

Ou seja, precisamos de um zagueiro pra jogar ao lado do Henrique, um lateral esquerdo pra marcar um pouco melhor e um centroavante com faro de gol e que não sinta a responsabilidade de substituir o grande Dom Fredom.

Com essa aquisições poderemos sonhar um pouco mais do foi ano passado. Se com o palhaço Levir conseguimos ser o primeiro campeão da Primeira Liga, com certeza com Abel já podemos comemorar a ‘Segunda Liga’. E domingo, que venha o vasquinho.

 

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião