Apesar de você…

Hoje você é quem manda. Falou, tá falado. Não tem discussão. A minha gente hoje anda falando de lado e olhando pro chão. Eu pergunto a você: onde vai se esconder da enorme euforia? Como vai proibir quando o Galo insistir em cantar? Como? Me diz aí, CBF. Apesar de você, amanhã há de ser outro dia. Eu acredito!

Vai começar o returno do Brasileirão. E a Massa, que tanto teve o que comemorar até os 45 minutos do primeiro turno, já não sabe se há motivos para rir ou para chorar. Lamentar, eu já digo de antemão: não adianta. Vamos dar a volta por cima, mesmo vendo a queda de rendimento do time. Mesmo vendo o que andam querendo os mandatários do nosso futebol. Os que ainda não estão presos, é claro! Apesar de você, CBF, o Galo ainda canta. Alto. Com raiva. Com raça.

Domingo, contra o Palmeiras, é a hora de lotar o Palácio do Horto. Hora de fazer valer novamente a força alvinegra. Vamos todos empurrar o Galo e ganhar na raça, costumeira arma de nosso time. Aliás, CBF, apesar de você e de seus ‘erros’ ano após ano, o nosso time, além de centenário, é imortal. Faremos valer a letra de nosso hino nesse returno. Vencer, vencer e vencer. Os adversários, o apito e você. Quem viver, verá!

Apesar de você, amamos esse esporte. Somos Galo até morrer. Vibramos com alegrias nas vitórias, fazemos mosaicos, vestimos máscaras de pânico para aterrorizar adversários, pintamos de preto e branco um continente e também um país. Apesar de você, lutamos sempre, com muita raça e amor. E isso não terá fim. Apesar de você e dos seus. Apesar do Wright, do Aragão, do Simon, do Márcio Rezende e dessa corja toda.

Quando chegar o momento, esse meu sofrimento vou cobrar com juros. Juro! Todo esse amor reprimido, esse grito contido, você vai ter que escutar. Quando chegar dezembro, apesar de você, em alto e bom som, eu vou gritar: É campeão! Você vai pagar – e é dobrado – cada lágrima rolada nesse meu penar.

Que a raiva demonstrada por nossos jogadores, pela comissão técnica e pela diretoria nas últimas entrevistas se transforme em uma vontade sem igual de vencer. Que nossos jogadores se lembrem da roubalheira que assistimos nas últimas rodadas em cada bola dividida, em cada chance de gol, em cada investida dos adversários. Temos um turno pela frente e é hora de reverter o jogo. É hora de mostrar pra essa gente que aqui, além de acreditar, nós podemos.

E que comece o returno. Com apito amigo sim, mas com sangue nos olhos. Esta taça não irão nos levar na mão grande. Já nos tiraram muitas, mas esta terão que vir buscar na nossa sede, em BH.

Eu vou morrer de rir e esse dia há de vir, antes do que você pensa. Apesar de você, CBF….

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião