Yo apuesto en Chile

Salve todos!

Uma pergunta que pouca gente se fez até hoje: haveria maior vexame para o Brasil na copa passada do que ter levado de 7 da Alemanha?
Vou dar a pausa de uma linha para vocês pensarem…

E se a seleção canarinho, jogando em casa, favorita, etc, etc, tivesse caído nas Oitavas de Final?
Seria pior do que cair daquele jeito nas semis?

Pois esteve muito perto… algo em torno de 20 centímetros.
Sim, se aquela bola do Pinilla que explodiu no travessão do Júlio César nos minutos finais da prorrogação tivesse entrado, esse seria o prematuro e melancólico fim da seleção brasileira no mundial.
O Chile esteve pertíssimo de eliminar a favorita anfitriã logo no primeiro mata-mata.

‘Mas o Chile já bateu ao Equador ontem, na abertura do torneio’.
Fácil falar hoje, então…
Seria eu então um simples Profeta do acontecido?

Não.
Basta olhar o Chile e os adversários.
Vou citar os dois maiores, talvez.
O Brasil vem totalmente remontado. Do time que venceu os rojos há um ano, apenas quatro atletas deverão ir a campo nessa Copa América.
Sim, é início de trabalho, todo mundo motivado… Mas falta o famoso ‘dar liga’.
Pela camisa e pela qualidade individual, o time pode ir longe.
Mas…

E a Argentina?
Essa para mim é no papel a grande favorita ao caneco.
Tem bons defensores (Mascherano, Rojo, Otamendi), ótimos meias e atacantes (Di Maria, Higuain, Aguero, Tevez, Lavezzi e o extraterreno Messi).
É vice-campeão do mundo, tem banco de sobra.
Mas…

Por que não apostar na camisa amarela?
Por que não apostar no super elenco argentino?
Por que o Chile???

Bem, primeiro porque além da Argentina, é a única seleção que não teve que se remontar.
Apesar de serem menos ‘super’ que os portenhos, tem na força do conjunto seu equilíbrio.

Depois, porque o inteligente treinador Jorge Sampaoli, desejo de 9 a cada 10 times brasileiros, conseguiu superar seu estigma de ataques fortes e defesas irregulares.
Mostrou desde a Copa do Mundo que seu time sabe marcar pressão para armar bons contra-ataques.
Também tem bons pensadores do meio para a frente, como Valdivia e Vargas.
E as duas estrelas estão em ótima fase.
Vidal é o motor da Juve, vice-campeã da Champions.
Sanchez, o engenho do poderio ofensivo do bom Arsenal.

Por fim, porque jogam em casa. Sua torcida é apaixonada pela seleção, diferente de nós brasileiros que somos muito torcedores de clube.
No jogo de ontem a presidente do País, Michelle Bachelet, vibrava muito com os gols da Roja. E sem ser vaiada…
Acham mesmo que a ‘nova’ seleção brasileira, que bateu a este Chile em solo inglês há menos de dois meses, teria a mesma facilidade no hostil ambiente chileno?

Pois eu quero ver um Chile e Argentina na final.
Que vença o melhor.
Eu aposto no Chile…

Abraços a todos, boa Copa América, fiquem com Deus!
Até a próxima!

por Rogério Lúcio
Twitter: @rogeriolucio77

(Foto: Gazeta Press)

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião