Aqui é Grêmio, mano!!

A festa foi completa nesse domingo. A Arena recebeu o maior público de sua história – 50.184 torcedores – e o Grêmio aplicou 3 a 0 no Corinthians. Uma atuação de luxo depois de dois empates sem gols (e frustrantes) contra América-MG e Santa Cruz.

Era Dia dos Pais também e isso me lembrou aquele 5 a 0 nessa mesma data comemorativa, em 2015. E justo diante do lado vermelho do Rio Grande do Sul, na nossa casa. O placar imposto sobre o Timão mostrou que a folga forçada de 10 dias no Brasileirão, por conta do adiamento do jogo com o Botafogo, fez bem ao Tricolor.

O time voltou mais ligado, antenado e fazendo aquilo que sempre procurou executar dentro de seus domínios. Dominou o adversário, criou as oportunidades e, dessa vez as converteu, todas com atacantes, algo que não vinha ocorrendo até então. Pedro Rocha, Everton e Miller Bolaños foram eficientes.

O Cebolinha, por sinal, ficou parado por três semanas, devido a uma lesão muscular na coxa, mas jogou demais. Aliás, esse não pode mais sair da equipe. A vitória contra um adversário da parte de cima da tabela nos mantém na briga pelo título e ainda com uma partida a menos.

Na sequência do campeonato, mais pedreiras. Primeiro, o Flamengo no domingo que vem. Depois, o Atlético-MG, na Arena. Novamente times próximos ao Grêmio na classificação.

O negócio é permanecer com a campanha regular, que não nos afasta do pelotão da frente. O segundo turno recém-começou, mas quem está em busca do algo mais (como os boleiros costumam dizer) tem de continuar nessa exitosa trajetória.

É natural que após tropeçar contra América-MG e Santa Cruz – ambos ocupam a zona do rebaixamento – a queda de rendimento do Grêmio voltasse à tona. Porém, a convincente vitória sobre o “Curintia” não deixou dúvidas de que seguimos fortes.

Ainda teremos os retornos de Walace e Luan, se não forem vendidos para o futebol europeu. De qualquer forma, caso a transferência se concretize, ela só deve ocorrer no final do ano.

Com as atuações na seleção brasileira olímpica, a dupla vai se valorizar ainda mais. Luan, por exemplo, é imprescindível ao Grêmio, quer queira, quer não. Um jogador que faz a diferença. Walace, então, é o guardião do meio-campo.

Que as boas apresentações com a amarelinha joguem a nosso favor, quando eles cumprirem a missão na Olimpíada. O elenco tem suas limitações, só que a coletividade é nosso trunfo.

Estamos novamente na zona de classificação à Libertadores. O Corinthians pagou o PATO e saiu do G-4. Foi uma manhã de domingo digna de aplausos pelo chocolate no “campeão dos campeões”. E olha que nem era Páscoa.

Saudações tricolores!!

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião