Até a taça de campeão mineiro é atleticana, Gilvan

Não podia terminar de outro jeito. A taça é nossa! Veste preto e branco. Eis a senha para a alegria se espalhar por toda Minas Gerais. Mas foi difícil, viu? Nada de moleza, como prevíamos. A Caldense é a segunda força do futebol mineiro, jogou de igual para igual e merece os nossos aplausos. Afinal de contas, fazia tempo que não encontrávamos adversário à altura nas Alterosas. Só tremedeira. Parabéns, Veterana!

O time de Poços só dez enaltecer a nossa conquista. O 43º troféu de campeão mineiro veio na base do suor, como é costumeiro em nossa rica história. Foi preciso correr atrás, colocar o coração na ponta da chuteira e muito atleticanismo para superar o time comandado pelo competente Leonardo Condé.

Levir, o inteligente que se diz burro com sorte, chegou ao terceiro estadual com o Galo. Entra para a história e merece o reconhecimento da Massa. Foi muito feliz ontem. Decisivo, eu diria. Faltou Guilherme? Vamos de Giovanni Augusto. Carlos vai mal? Thiago Ribeiro neles. Pratto passou em branco? Jô é a solução. Sim, Jô foi a solução. Resolveu o jogo e o título. E deu início à festa que se espalhou por toda Minas Gerais, começando nos braços do ET.

Aliás, em meio à festa pelo 43º título estadual, não tive como não lembrar do presidente da turma da Enseada das Garças, que recentemente foi aos microfones lamentar pelo fato de Minas Gerais ser atleticana. Gilvan descobriu o que todos já sabiam, mas é preciso avisá-lo que é ainda pior.

Se a profecia do tal Goulart não vingou, Gilvan se mostrou um homem de visão e percepção ao nos contar que em Minas quem manda é o Galo. Sim, meu caro. Castellar é alvinegro, assim como o Schettino. Marcelo Oliveira carrega o Galo Doido no coração. Está claro isso. Deus veste o preto e branco desde 30 de maio de Dois mil e Galo.

A essa turma, juntam-se o funcionário do século da BHTRANS, que anunciou para toda a capital que vocês tremem, a bandeirinha de escanteio do Horto, o responsável pelo áudio no salão de festas, que colocou o hino alvinegro em alto e bom som na primeira volta olímpica do ‘novo’ Mineirão e o responsável pelo disjuntor do Palácio do Horto. Coisa de turco aquilo….

Na Minas Arena? Todos alvinegros. Na Itatiaia? Também. Idem na Globo, na Fox, na Sportv, na ESPN e na Inconfidência. O mundo é alvinegro, meu caro. E festeja muito hoje. É verdade que o Jô estava impedido, mas o bandeira resolveu validar o gol para não jogar água no chopp da Massa. A la Jorge Bem, correu para o meio do campo ‘para animar a festa’ que começava ali.

Por falar em festa, presidente. O senhor viu o vídeo dos jogadores cantando no gramado o hit de maior sucesso no Brasil desde o ano passado? Sim, Gilvan, aquele de colete vermelho pulando ao som de “Maria, eu sei que você treme” era o Thiago Ribeiro. Atleticaníssimo. Fez gol na final, deu carrinho e brindou a tremedeira. Leonardo Silva é Galo. Guilherme é Galo. Edcarlos é Galo. E há quem diga que o Paulo André também, viu? Não foi a toa que o seu beque ficou admirando os gols do Pratto na semifinal, em pleno salão de festas.

Ontem, meu caro presidente, descobrimos que o ET de Varginha é atleticano também. Surreal, não? Mas o melhor de tudo foi ver, com meus próprios olhos, que a taça de campeão mineiro de 2015 é atleticana, Gilvan. Ela caiu bem nos braços de nossos jogadores e foi recebida com festa na noite de domingo, em BH. Coisa de quem festeja.

Fica então a dica. Já que concordamos que só tem atleticano em Minas e no Brasil, o melhor a ser feito é cuidar da sua casa aí, porque a batata de muita gente já está assando pelos lados da Enseada das Garças. Melhor chamar um médico para dar jeito no Parkinson da turma, porque dia 06 de junho tem mais.

E é bom reforçar o time. Mas não no México. Porque o Ronaldinho, o mineiro mais gaúcho do mundo, postou ontem à noite: Aqui é Galo, p$@#*&¨! O senhor não vai querer trazer para Minas mais um alvinegro de coração, não é mesmo? É, presidente, a coisa ‘tá’ preta. E branca!

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião