Carta aberta aos movimentos organizados e associados do Santos Futebol Clube

Carta aberta aos movimentos organizados e associados do Santos Futebol Clube

Primeiramente queria agradecer a Deus e a todos os homens e mulheres, que de alguma forma constituíram a história do maior clube do mundo nesses quase 105 anos. Componho parte de 1/4 da história recente de nosso clube, e me sinto honrado de poder presenciar grandes momentos na minha geração. Confesso que analiso e me deparo com o momento mais delicado da história de nosso clube, e mais ainda do futebol brasileiro. Perdemos a capacidade de dialogar e constituir um espaço capaz de aproximar e instituir uma ordem entre nós, tanto internamente em nosso clube, e mais ainda na organização do futebol brasileiro. Clubes em um caminho, federações na contramão e governos sem nenhuma perspectiva de interagir e governar sobre a indústria futebol.

De quem é a culpa? Minha, sim minha e nossa… Tenho como parâmetro a total falta de paciência e unidade da minha própria torcida, tal como dos meus dirigentes. SIM democraticamente estamos de nossa maneira certos, porém está evidente a perca de respeito e disciplina ao promovermos esse direito, não existe nenhum momento, onde que podemos dialogar sobre uma ética e respeito sobre qualquer assunto de nosso clube, não há regras, deveres e limites entre nós, todos nós dirigentes, torcida, torcedores, conselheiros, diretores, funcionários e atletas; permanece um gigantesco abismo entre instituição SFC e todos os movimentos organizados ou não, é cada vez menos respeito há  personagens dessa nossa história.

Sim existe um reflexo evidente sobre o atual modelo de gestão do SFC, que avançou em alguns aspectos, mas já se mostra ineficiente em relações humanas e sociais, como também tira a força de decisão do Representante eleito em questões pragmáticas ou que determinem autonomia e velocidade nas soluções. DEUS SIM, RELIGIÃO NÃO…porém não é o foco de minha carta e sim a atenção no comportamento e no diálogo coletivo, não há problema protestar, não há problema em criticar e não há problema em falar em Política e Religião, tudo na sua hora e lugar. O nosso Gigante e Glorioso para permanecer nesse novo século Afirmando sua tendência histórica de POTÊNCIA MUNDIAL, teremos que abdica de muitos comportamentos, “Não Sou mais Santista que ninguém, como ninguém é mais Santista do que eu” Não há Associação Política melhor ou mais capaz que a minha, e muito menos Presidente ou candidato A ou B ou C iluminado para resolver questões e desafios…

A consagração de nosso clube é um esforço COLETIVO; ou começamos de fato nos despir de todo egocentrismo e vaidade entre nós ou tenho o pressentimento claro que estamos HOJE constituindo a nossa pior fase da história de nossa instituição. Estou chateado com a falta de respeito entre sócios e torcedores, chateado com a falta de Líder e resultados em campo, estou chateado com a crise e falta de diálogo do estado com as torcidas organizadas, chateado com a exposição crítica na mídia produzida por nós, no qual fazemos o clube, atletas e representantes serem ridicularizados, chateado com o todo de nossa torcida que apoia de acordo o desempenho do time, chateado com a falta de pulso da diretoria, em escutar e dialogar com as críticas certas ou erradas da comunidade Alvinegra…Enfim DEFENDO UM MOVIMENTO DE DIÁLOGO OFICIAL ENTRE INSTITUIÇÃO E MOVIMENTOS ORGANIZADOS DO CLUBE…congresso, encontro, seminário ou seja lá o nome adequado, com propósito claro; Constituir a transparência política das correntes organizadas, como uma grande oportunidade de defesa do modelo e escolhas administrativas da gestão no qual estiver governando e a construção incessante da unidade interna e externa de nossa torcida e instituição que é nosso maior patrimônio !!!

Saudações Alvinegras

Por Alexandre Cruz
Presidente Terceira Via Santista
http://www.3vs.com.br

https://www.facebook.com/terceiraviasantista/

 

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião