Cebolinha fala elado e joga celto

Na infância, um dos meus passatempos, além do saudoso futebol na rua, onde os chinelos serviam como goleiras, era ler gibis. E nessas histórias estavam a Turma da Mônica. A moça dentuça sempre perseguida pelo Cebolinha.

Pois, ontem à noite, no Allianz Parque, em São Paulo, o personagem carismático de Maurício de Sousa apareceu para nos dar o gol da classificação à semifinal da Copa do Brasil.

De novo, Everton, também popularmente conhecido como Cebolinha, foi decisivo e principal responsável pela vaga. O gol que havia perdido contra o Santos, no fim da partida pelo Brasileirão, no último domingo, foi compensado dessa vez diante do Palmeiras.

Já tivemos um outro Cebola, o Cristian Rodríguez, da seleção uruguaia, mas que ficou apenas três meses, se machucou e não traz nenhuma saudade. Everton é capaz de resolver a parada.

Na Terra da Garoa, saiu do banco de reservas para nos colocar na penúltima fase do torneio mais democrático do País. E ainda perdemos a chance de matar o jogo nos minutos finais.

Esse argumento de que alguns clubes não desejavam conquistar a Copa do Brasil, porque estão preocupados com as suas situações no Campeonato Brasileiro, é conversa para boi dormir.

Restam apenas quatro jogos para o sonho do pentacampeonato se transformar em realidade. Domingo é dia de clássico Gre-Nal na Arena, local em que o adversário sempre encontrará imensas dificuldades que terá ao longo dos 90 minutos.

E com o lado vermelho do Rio Grande do Sul não será diferente, até por se tratar da maior rivalidade nacional. No primeiro turno, Everton Cebolinha chutou, Muriel deu rebote e Douglas marcou o gol da vitória, calando a Beira do Rio e fundindo o motor do então técnico fanfarrão deles, Argel Fucks, que falou que iria passar com o trator por cima “dos caras”.

Cebolinha é gente boa, mas também sabe aprontar quando quer, pegando o inseparável coelho da Mônica. Everton fez isso dentro das quatro linhas.

Não era o Sansão, mas a bola que morreu no fundo da rede de Jailson aos 30 minutos do segundo tempo. Eram os reservas do Palmeiras? Sim, porém com o elenco que tem, o atual líder do Brasileirão é adversário complicado em qualquer circunstância. E certamente 90% dos atletas que atuaram seriam titulares por outras equipes.

Portanto, nossa classificação não foi em vão. Eliminamos o melhor time brasileiro e que deve confirmar o título no dia 4 de dezembro (se não for antes). Que venha o Gre-Nal 411 e Cebolinha deixe os moranguinhos chorando de tristeza após o apito final.

Compartilhe!
  • 14
  •  
  •  
  •  
  •  
    14
    Shares

Deixe sua Opinião