Chegou a hora de resplandecer!

Salve Nação Azul!

Cruzeiro: definitivamente, eu confio em você para esse 2017!

Foram duas dezenas de jogos, alguns ótimos, outros piores, alguns abaixo da crítica.
Mas passamos ilesos por eles, sem saber o que é derrota nesse quase trimestre de bola rolando.
Podemos dizer que fomos melhores nos testes de maior importância, o que nos dá respaldo e confiança para o que vem a seguir.

Agora acabou a mamata.
Fim dos testes!
A partir de quarta-feira, é pra valer de verdade.

Já tivemos o jogo (bem mais chato do que pensávamos) contra o Nacional do Paraguai.

Na quarta tem o primeiro jogo da quarta fase da Copa do Brasil.
E não poderíamos ter caído no sorteio frente a um adversário mais emblemático: o São Paulo.
De chateações nos pontos corridos, de classificações históricas nos mata-matas.

Depois, as semifinais do Mineiro contra o América.

O que vimos nesses 70 dias é que temos, enfim, um time montado.
Coerente com o que o Mano pensa, aceitemos nós ou não a sua escalação.

Fui ao Mineirão nesses dois últimos jogos para ver time titular e reserva.

Um dos caras mais criticados do time não pode nunca deixar de ser titular.
O jogo todo passa pelo Ariel Cabral, muito mais útil hoje que o Lucas Silva.
Fato, porém, é que nossa volância está muito bem servida.

A gente confia no Lucas, no Ariel…
Hudson vem suprindo com excelência a vaga do capitão Henrique.
E ainda temos o Romero.

A zaga também me passa sossego; qualquer um dos quatro jogadores da posição podem ser titulares. Por mim, jogariam Dedé e Manoel. Vamos ver até quando fica o Léo pois o Mito voltou com o gás todo.

Bom também é olhar para o gol e estar seguro.
Fábio ou Rafael? Hoje, tanto faz.
Não acho que o Mano vá tirar o Rafael agora nessa reta decisiva; creio que vá colocar o Fábio aos poucos até sua titularidade voltar a ser natural.

A criação está bem entregue a Arrascaeta e Thiago Neves, e Rafinha é o melhor substituto do Robinho.

Sóbis ou Ábila fecham o time titular dando boa dor de cabeça ao Mano.

Apenas duvido dos reservas da nossa lateral.
Ezequiel é regular, mas constante.
Diogo Barbosa parece aqueles moleques magrelos e canhotos que destroem qualquer pelada.
Mas Mayke e Bryan estão sem confiança neles mesmos.
E Fabrício… ahh, esse era melhor quando era maluco.
Porque agora se aquietou mas parou de jogar bola.

A nota triste fica para a base celeste.
Já falei de Mayke, mas Élber e Ailsson também não parecem estar dispostos a sustentar a alcunha de diamantes.
Sei lá, parecem deslumbrados, e aí a preguiça toma conta…

É isso!
Um time titular coeso e entrosado.
Um banco de segurança em quase todas as posições.

Esse Cruzeiro parece ter sido montado para fazer valer o hino nacional quando diz que ‘a imagem do Cruzeiro resplandece’.
Que assim seja por esse ano a começar por essas primeiras decisões.

E que o lado de lá, em Vespasiano, também honre sua parte do hino.
Aquela do ‘deitado eternamente’…

Abraços a todos.
Especiais nessa coluna a Gardênia, Felipe, Maria Laura, Vanessa, Juninho Cemig e sua turma, Pablito TFC e Hugão!
Saudações celestes, fiquem com Deus!
Até a próxima!

por Rogério Lúcio
Twitter: @rogeriolucio77

(Foto: Ramon Lisboa – EM DA Press)

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião