Deixem ele trabalhar…

Desde que Ceni foi anunciado como técnico do São Paulo, a mídia nos bombardeou com informações sobre treinos inovadores, “visão moderna” do futebol com auxiliares gringos, e mais uma série de detalhes para criar expectativa.

A audiência e a torcida compraram a idéia de que Ceni transformaria o São Paulo com variações táticas durante a partida, jogadas ensaiadas, time compactado e de passes rápidos com muita velocidade e criatividade.
Mas esqueceram de avisar que tudo isso leva tempo, e que um mês não é tempo suficiente sequer para crescer 5 cm dos poucos cabelos que restam à Ceni, quem dera fazê-lo montar o melhor time de todos os tempos como boa parte da torcida quer.

Para piorar tudo o São Paulo não estreou contra nenhum “saco de pancadas”, mas sim contra o vice campeão da competição, o Audax, um time jovem que já à algum tempo vem aprontando para cima dos grandes do Estado e sempre sendo muito elogiado pelo bom trabalho do técnico Fernando Diniz.

Há quem diga que o Audax não “tem camisa” e dispute a série D nacional, e que por isso a vitória deveria ser obrigatória, mas num campeonato tão traiçoeiro como o Paulista e durante um jogo de 90 minutos muita coisa pode se inverter. E sim, hoje, neste atual momento o time de Osasco demonstra estar mais pronto que o São Paulo.

Porém, mesmo com todo nervosismo da estréia neste processo de reformulação da equipe e, principalmente, aprendizado para Ceni, o time conseguiu reagir contra um placar de 2×0 e ainda quase virou o jogo no primeiro tempo. Algo praticamente impossível para os times montados nas temporadas anteriores onde haviam jogadores considerados estrelas, porém faltava alma.

O time perdeu sim, mas brigou. E atacou até mais que o adversário.
Foi goleado sim, porém, pelas chances desperdiçadas também poderia ter goleado.

Não, não dá pra dizer que foi tudo uma maravilha e que o resultado foi injusto. O adversário foi superior e erros individuais e coletivos colaboraram para isso, além, é claro, da nítida limitação técnica de alguns jogadores.

Mas também não há razão para se desesperar e imaginar que será mais uma temporada de fiascos e vexames. O elenco precisa SIM de reforços e qualificação, assim como Ceni ainda irá quebrar muito a cabeça para apresentar um time/esquema competitivo que agrade e convença a torcida.

Aliás, com toda repercussão deste primeiro jogo ficou claro que existe apenas uma razão para se preocupar com o início de trabalho de Ceni: A torcida. Justamente ela.

Esta sim, se não souber ter paciência poderá colocar em meses todo um trabalho no lixo junto com a tentativa de apresentar algo novo.

Ainda é cedo demais para dizer se Rogério está errando mais do que acertando. Portanto, deixem o Mito trabalhar. Pois, tenho certeza que nenhum outro torcedor sofreu tanto com a derrota de ontem como ele…

Compartilhe!
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

Deixe sua Opinião