Dia de clássico para o sub-17. Dia de festa para o sub-43.

Créditos: SPFC1935

Eles, olhar determinado, disposição, vontade de vencer e cabelo da moda. Ele, também. Quer dizer, com exceção ao cabelo, que se torna mais escasso a cada insucesso de seu time.

Os meninos do CT jogam hoje a partida de suas vidas. O menino de 42 já teve mais de mil partidas da vida.

Se acaso resolvessem colocá-lo hoje em campo para atuar em meio aos garotos, ninguém notaria a diferença de idade. Quer dizer, notariam sim, mas apenas pelo seu rosto, pela excelência de seus movimentos e por sua liderança nata. Não pela forma física ou ausência de reflexos e elasticidade.

Vinte e três anos atrás ele era um deles. Lá estava ele, na Copa São Paulo de juniores de 1992. Do banco de reservas, sonhava em se tornar titular. Sonhava em subir para a equipe profissional. Sonhava em ser um grande jogador e ganhar títulos.

Aqueles meros sonhos transcenderam o patamar da realização. O que era sonho se tornou abundância. Ele não só chegou lá, como chegou LÁ. No topo. Tornou-se o maior jogador que já vestiu aquela camisa vermelha, branca e preta.

Portanto, sub-17, inspirem-se, sonhem, lutem e deixem a vida em campo, assim como o maior de todos os ensinou. Contra eles, esta noite, balancem a rede e saiam correndo e girando a camisa, da mesma forma como ele fez. Seguir os mandamentos dele é um ótimo começo para triunfarem com esta camisa.

Boa sorte, molecada!

Rogério Ceni. Mito, ídolo, capitão. Feliz Aniversário!
42 anos… e contando…

 

Imagem: SPFC1935

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião