Do jeito Palmeiras!!!

O ano de 2015, com seus altos e baixos, tem servido, sobretudo, para trazer de volta ao torcedor palmeirense a lembrança de uma camisa pesada, de vitórias e classificações épicas e para nos fazer sonhar com coisas melhores.

Se em temporadas anteriores era missão ingrata ou quase impossível vencer os grandes times, neste ano não faltam vitórias deste tipo.

A máquina de fazer gols, ainda que de longe, bem de longe, nos remete ao esquadrão de Rivaldo, Djalminha, Muller e Luizão, e só não nos põe em situação mais favorável nas competições porque nossa zaga insiste em brincar com a sorte.

E que emoções passamos anteontem!! Mais uma vez fizemos de um jogo absolutamente tranquilo um improvável pesadelo, que se não fosse a imediata resposta com o gol de Andrei, voltaria a nos assombrar em mais uma horripilante noite de quarta feira.

O time ainda sofre apagões. Se deixa dominar pelo puro desespero do adversário, que não tem outra coisa a fazer que não seja se lançar à frente e, invariavelmente, encontra reação nas falhas de nossa defesa.

Apesar de tudo, o que fica é o clima sentido nas arquibancadas do Allianz Parque. Nem mesmo na final do Paulistão contra o Santos o estádio pulsava e jogava junto com o time como na última quarta feira. Enfim, estamos aprendendo a fazer da arena moderna um coliseu infernal, que oprime o time adversário e arranca a vitória na marra.

Na marra, mas na bola. É bom que se diga.

Após o jogo, não faltou choradeira colorada, a começar pelo Argel, dizendo que “jogaram contra 13”. Alisson também abriu o berreiro e falou que “não deixaram o Inter ganhar”… Ah, tenham dó!!!

Não reconhecer a superioridade do Palmeiras nos 2 jogos é uma tremenda injustiça! De 4 tempos disputados dominamos 3 deles, sendo que o Inter nos bateu apenas no segundo tempo do jogo de volta.

Se a arbitragem foi ruim? Concordo. Mas prejudicou a ambas as equipes.

Há quem diga que o Anderson usou pé alto pra tomar a bola do Lucas no primeiro gol. Na minha opinião, não houve nada mesmo.

No lance do pênalti, nosso capitão é claramente segurado pela cintura pelo ex gambá. Penalti claro.

E no segundo gol do Inter, Rodrigo Dourado nitidamente impedido quando raspou de cabeça antes de a bola sobrar para o Lisandro.

Então, dessa vez não dá pra colocar na conta da arbitragem, não!

Aos colorados, digo que sempre nos lembraremos de 2005, mas isso não significa que todo e qualquer jogo desde então tenha que virar edição de DVD…

Agora, que venha o time de terceira!!! Já sinto o cheiro da América e do esquadrão que montaremos no ano que vem!!

Avanti.

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião