Dupla comemoração na Arena

Falta muito pouco para que o Grêmio cumpra o seu objetivo imediato no Brasileirão. A vitória de 1 a 0 sobre o Fluminense ontem à noite, na Arena, encaminhou o Tricolor gaúcho rumo à Copa Libertadores da América.

De quebra, ainda sentimos o pequeno gostinho da vingança pela eliminação diante desse mesmo adversário nas quartas de final da Copa do Brasil.

Mas, foi uma boa (e grande) notícia que antecedeu o chuvoso confronto. Durante a tarde, o clube surpreendeu e anunciou, por meio do Periscope, a renovação de contrato do técnico Roger Machado.

Nosso comandante ampliou sua permanência até o final de 2017. Em apenas seis meses de trabalho, ele mostrou como “tirar leite de pedra”. Nada mais justo do que coroar toda sua competência com uma extensão do vínculo.

É claro que os jogadores fizeram sua parte em campo, porém se estamos firmes e fortes na terceira colocação – a um pé da competição continental no ano que vem – muito se deve a Roger.

Dentro de campo, a equipe mostrou, através da coletividade, como foi possível vencer a desconfiança, já que muitos nos apontavam como possíveis candidatos a brigar pelo rebaixamento.

Com o trabalho desde o início da temporada, dá para acreditar que o treinador tem tudo para se dar bem à frente da equipe em 2016. Agora, os reforços são necessários para encarar a sempre difícil e suada Libertadores.

Tomara que a direção consiga também manter a base, apesar de algumas situações serem complexas como a do volante Maicon, que está emprestado pelo São Paulo até o final do ano.

Para que fique em Porto Alegre, o Tricolor paulista pede R$ 9 milhões. Agora, convenhamos, o atleta virou peça-chave no time, mas é um valor fora da realidade dos padrões financeiros do Grêmio.

Galhardo, Erazo e Douglas eram incertezas lá no início do campeonato, entretanto, se transformaram em afirmação com o sob a batuta de Roger que, pode sim ser considerada a maior contratação no ano.

Restam apenas três rodadas para o fim do campeonato. Domingo à tarde, é a vez do Gre-Nal 408 no Beira-Rio. E não tem como apagar da memória o duelo do primeiro turno – aqueles sonoros 5 a 0 na Arena que já haviam derrubado Diego Aguirre três dias antes do clássico. Independente disso, vamos com humildade e pés no chão.

Um empate é importante para o Grêmio confirmar a vaga e seguir soberano no G-3, permitindo assim o ingresso direto na fase de grupos da Libertadores.

Enquanto isso, o sonho deles fica cada vez maior….igual aqueles de padaria. Não temos nada a ver com o lado vermelho e branco, só que o eterno discurso de lutar pelo G-4 não passou de balela.

Saudações tricolores!!

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião