Esquenta do clássico: Gigantes, vizinhos e rivais…

Às vésperas deste grande jogo, há quem diga que o Choque-Rei representa o confronto de maior rivalidade no futebol paulista. Rivalidade esta que por vezes se transforma em verdadeiro ódio.

A partir da década de 30, Palmeiras e São Paulo sempre travaram batalhas épicas, tanto dentro, quanto fora de campo.

Por se tratar de dois gigantes do futebol mundial, ao longo do tempo os clubes viveram disputando jogadores no mercado, títulos de campeonato brasileiro, vagas em Libertadores, assim como infelizes guerras entre as torcidas.

E o sentimento de ódio (no sentido figurado, claro) circula muito entre os bastidores…

Em ótima matéria publicada, o site Globoesporte.com, relatou fatos curiosos ocorridos entre os CT´s das duas equipes, na Barra Funda, onde um muro separa tamanha rivalidade (Brilhantemente ilustrada na imagem acima por nosso amigo e parceiro Thiago Adonai ). Felipão e Milton Cruz como espiões, apostas entre os jogadores e mais, numa época em que o futebol era muito mais legal.

Não poderíamos ficar de fora dessa discussão…

por Cassio Alves

O lado de cá do muro sempre foi o lado onde todos queriam estar. Onde (geralmente) a paz reina, as glórias se sucedem e a história é escrita. A grama do lado de cá sempre foi mais verde do que a grama do clube verde vizinho.

Prova maior disso foram as 3 incontestáveis eliminações do rival nas Libertadores de 94, 2005 e 2006. O que dizer daquele gol do Cicinho, de canhota, no dia em que mijamos de porta aberta em pleno chiqueiro?

A própria matéria do Globoesporte.com relata que o Felipão subia no muro para, ironicamente, pedir zagueiros e bisbilhotar o dia-a-dia do vizinho rico.

Em busca de dias melhores, após um dos piores anos de sua história, o Tricolor encara o vizinho café com leite para confirmar sua hegemonia no Choque-Rei. Isso porque do lado de cá do muro, crise é não conquistar ou disputar títulos, ao contrário do morador ao lado, que vira e mexe frequenta a segunda divisão do futebol brasileiro.

Melhor ataque do Campeonato, o Tricolor acabou com a dúvida e Ganso está confirmado para o jogo contra as porquinhas coitadinhas que não conquistam nada decente desde 99.

Seja como for, os 3 pontos contra eles sempre caem pro lado de cá do muro. Podemos até escalar o Douglas de goleiro!

Vem, Freguês!


por Paulo Del Fiori

Essa rivalidade é cheia de história mesmo! Cheia de histórias vergonhosas do nosso rival afeminado!!!

Como não se lembrar da perseguição são paulina ao então Palestra Itália durante a 2ª Guerra Mundial? Ou então do título alviverde em 1942, já como Palmeiras, que terminaria com o covarde abandono tricolor ainda no intervalo do jogo, com desfavoráveis 3X1 no placar? (E ainda tiram sarro do Tigres??? Ahahahahahaha)

Ao ler isto, certamente meu amigo bambi vai mencionar as eliminações da Libertadores, que na verdade ninguém se lembra.

A mais emblemática delas, a que aconteceu em 94, é facilmente justificável: É que naquela época, com os esquadrões que o Palmeiras montava, precisávamos excursionar pelo mundo, assim como fazia o Santos de Pelé.

Em uma dessas viagens, voltamos em cima da hora pra jogar as oitavas de final, cansados, sem dormir, turbulência, fuso horário… e acabamos eliminados. Naqueles tempos ninguém ligava pra Libertadores mesmo, que somente virou cobiça dos times brasileiros a partir do dia 16.06.1999.

Por fim, para aqueles que dizem que o Morumbi é ultrapassado, que precisa de reforma e tal, há alguns anos o Alex abriu uma chapelaria lá…

Neste domingo, não tomaremos conhecimento do goleiro bisavô, muito menos do centroavante que só faz gol de quinta feira…

Pra cima delas!!!

AVANTI!!!

Compartilhe!
  • 27
  •  
  •  
  •  
  •  
    27
    Shares

Deixe sua Opinião