Estreia animadora… para os adversários!

Não sei qual sentimento é maior depois de uma estreia tão catastrófica: sono e vontade de dormir, raiva e ódio, desilusão e desânimo, ou simplesmente aceitação de algo totalmente previsível.

O São Paulo teve uma atuação horripilante!

Com exceção a alguns lampejos de lucidez do jovem e atabalhoado Ademílson, a equipe inexistiu em campo. É difícil dizer quem foi pior, pois a lista de concorrentes inclui um time inteiro. Por um olhar positivista, a derrota foi essencial para não ocultar a deficiência da equipe aos mais empolgados.

Sem peças para compor um time decente, Muricy tentou inovar e improvisar posições. Suas apostas também não surtiram efeito nenhum. Denílson defensivamente continua muito aquém de um jogador que mereça vestir aquela camisa tão gloriosa. Por outro lado, Wellington atuando avançado eu prefiro poupar palavras. Aliás, essa dupla, que deu certo no final de 2012, desaprendeu totalmente. Onde foi parar o futebol desses cidadãos? Pior, com Fabrício novamente lesionado, não temos opções de volantes. Bons tempos aqueles do Hernanes… Nada que preocupe a Diretoria em um momento onde a eleição é prioridade e a equipe está totalmente jogada às traças.

Gostaria, mais uma vez, de destacar a atuação de nosso camisa 9. Na semana passada, pudemos ler notícias do tipo “Nunca me senti tão bem numa pré-temporada”.  E eu digo: Nunca me senti tão ludibriado por um centroavante. Já são dois anos e meio que este rapaz nos coloca um nariz de palhaço. Cada vez com físico e raciocínio mais lentos.

O esforçado Aloísio já faz falta.

Outros também merecem destaque negativo, como o Sr Rodrigo Caio, queridinho de uma mídia carente de manchetes, Antonio Carlos, Maicon, além até de Ganso, Rogério e o estreante Luís Ricardo, que parecem ter sido contaminados na tarde de ontem pela sonolência e debilidade do time.

O ano novo ta aí. As eleições, também. Aquele time com perfil perdedor, tampouco.

 

 

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião