Guerreiro é o chefe!

Aos poucos, a respiração volta ao normal depois de uma partida que obrigou cardíaco a desligar a TV. Um jogo que parecia estar na mão após um lindo lançamento de Tolói e um petardo do Boi Bandido (seguido de sua tradicional voadora nos companheiros), tornou-se o mais dramático do campeonato após duas grandes imbecilidades de nossos volantes.

A primeira delas foi obra de Denílson. A rigidez da expulsão pode até ser contestada, mas alguém pode me explicar o motivo pelo qual este rapaz entrou com tal volúpia em um lance no meio de campo? Já foi a terceira expulsão dele no campeonato. Será que o Fabrício não merece sua vaga?

Na segunda etapa, após Muricy ajeitar o time com um jogador a menos, o jogo já estava complicado quando nosso caro amigo Maicon é expulso por reclamação. Meu Deus!! Não dá para acreditar. O time com um a menos e o cidadão é expulso por RECLAMAÇÃO. Ele só pode ser companheiro de quarto do Luís Fabiano na concentração. É a única explicação. Daqui a pouco vai fugir de clássicos também…

Com o cenário todo adverso, só nos restava contar com a superação, raça e brio de nossos jogadores. Tivemos mais do que isso. Tivemos, como a torcida tanto aclamou, um time de guerreiros em campo. Isso mesmo! Aquele mesmo time desinteressado, displicente, apagado e sem vontade do restante do campeonato se transformou num time de guerreiros. Estranho? Não. Conforme disse em sua chegada, Muricy seria “um de nós” no comando e o único capaz de contagiar este elenco morno.

Aquela já conhecida batida de mão nas veias e no símbolo escancaram o que acontece no dia-a-dia e nos enchem de orgulho. Mais do que isso. Para mim, ao invés de “Time de guerreiros”, poderíamos simplesmente cantar “Time comandado por um guerreiro!”.

 

 

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião