Junho: Um mês alviverde inteiro!!!

De uns anos pra cá, ficou impossível olhar para o calendário gregoriano e não apontar ao menos 3 dias juninos em que se comemora aniversário de alguma grande conquista nossa.

A primeira delas é talvez a mais famosa. Lembramos sem nenhum esforço daquele dia dos namorados de 1993. Do sábado frio e chuvoso, no Morumbi de mais de 100 mil. E da pulverização da fila incômoda que teimávamos em não largar.

Estava aberto o caminho para tantas outras festas juninas alviverdes.

Aí veio o dia 16, de junho, claro, do ano de 1999, do Nosso Senhor São Marcos de Palestra Itália!!!

Mais um junho inesquecível. Um dos mais frios da história, é verdade, mas naquele ano Santo o que não faltou foi fogo, no que ficou conhecido como “O Inferno Verde”, pelo próprio jornal Olé, da Argentina.

Só que 3 anos antes, o mundo se assombraria com um dos maiores esquadrões da história do futebol em todos os tempos.

No dia 02, o mês de junho futebolístico ganhava de presente mais um episódio histórico dado pela Sociedade Esportiva Palmeiras: A Máquina Mortífera de 1996 e o seu arsenal dos 102 gols.

É possível lembrar de tudo como se fosse ontem. Eu, então com apenas 11 anos, já havia visto mais times e campanhas gloriosas do que muitos marmanjos jamais verão em uma vida inteira, mas nem assim poderia prever o que estaria por vir a partir daquele janeiro, do ano em que a Parmalat resolveu gastar!!!

O time já contava com ótimos remanescentes da Libertadores de 95, como Velloso, Flavio Conceição, Amaral, Cleber e Rivaldo… A estes foram se juntando as peças que formariam a máquina de fazer gols: Djalminha e Luizão, vindos do Guarani, o até então desconhecido Junior, do Vitória, Cafu, fruto do chapéu aplicado na diretoria do (a) rival de além-muro e Muller… Meu Deus!!!!

Saibam os treinadores que reclamam da falta de tempo pra treinar e montar uma equipe competitiva, que bastou apenas uma mini pré-temporada de 10 dias em Serra Negra para que o Professor Luxemburgo encontrasse a sintonia fina daquele time que passaria a funcionar como uma verdadeira filarmônica!!!

Então, fomos disputar a copa Euro América, em Fortaleza; um verdadeiro torneio de verão, que depois de uns anos passou a ser chamado de Mundial por aí…

Após despacharmos o Flamengo, foi a vez de enfrentar o campeão alemão, Borussia Dortmund. Foi exatamente após este jogo que algo de muito sério passaria a acontecer no futebol brasileiro e mundial: 6 x 1!!!!!

Logo após o apito final, ainda no gramado os jogadores alemães, atordoados e envergonhados, imploravam por uma revanche, desta vez a ser disputada em terras germânicas, para que tivessem a chance de devolver a humilhação que sofreram…

Logo depois, começou o Campeonato Paulista e a história, a ser escrita. Os números não são apenas incontestáveis, como devem ser eternizados nos livros da história do futebol mundial!!! Nem o Santos de Pelé pôde sustentar seus recordes diante do esquadrão liderado por Djalminha e companhia. Vamos a eles:

30 Jogos

27 vitórias; 2 empates e 1 derrota (83 pontos)

102 gols marcados

19 gols sofridos

Esses inacreditáveis 102 gols foram distribuídos em diversas goleadas retumbantes ao longo da competição, como os 6 x 0 no Santos, em plena Vila Belmiro e os 8 x 0 no Botafogo.

Sinceramente, olhando para a forma como este time jogava, passados 20 anos e entendendo mais ou menos como funciona o futebol, posso afirmar, com toda a certeza, que era algo que não deve absolutamente nada ao tiki taka do Barcelona, à eficiência do Real Madrid ou ao futebol total do Bayern München.

Não tenho dúvidas que isso seria ainda mais provado caso este time tivesse jogado junto por mais tempo. Aliás, esta é a única ressalva que se faz a este episódio inesquecível da nossa história.

Que pena ter durado tão pouco!! Que pena aquela derrota inesperada para o também ótimo Cruzeiro de Marcelo Ramos e para os refletores do Palestra Itália, na Copa do Brasil.

Há quem diga que esse foi motivo de ira dos diretores da Parmalat, que decidiram então desmanchar o time, vendendo os melhores jogadores para a Europa para recuperar o investimento.

Mas, nada poderia apagar o brilho e a glória daquilo que aconteceu em um simples Campeonato Paulista!

Aí vai o nosso muito obrigado a Velloso, Cafu, Sandro, Cleber e Junior; Amaral, Flavio Conceição, Rivaldo e Djalminha; Muller e Luizão.

Parabéns à Sociedade Esportiva Palmeiras pelos 20 anos da maior campanha da história do Campeonato Paulista em todos os tempos!!!

O mês de Junho, mais uma vez, te agradece!!!

Foto: futeboldetodosostempos.blogspot

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião