Lá se vai a pequena grande esperança…

Diante de um fato concretizado, não há muito o que se fazer a não ser lamentar. Quando é especulação, dá tempo de colocar a boca no trombone, seja cuspindo marimbondo pelo microfone de uma rádio, seja vaiando nos estádios ou até mesmo através de xingamentos em mensagens de Whats App, como gosta nosso sutil e educado presidente (eu disse presidente?). Mas é fato. Otero foi embora para o mundo árabe e não há o que a Massa possa fazer nesse momento.

Lá se vai o pequeno grande gringo que tanto nos representa. O venezuelano foi grande em vários gols e incontáveis assistências desde que aqui chegou, vindo de um time pequeno do Chile e de uma seleção que quase ninguém respeita. Foi pequeno ao não conseguir levar o Galo a voos maiores. Ele foi enorme na primeira partida da decisão do Mineiro deste ano, matando as Marias no Horto, como de costume e nos permitindo sonhar com a taça. Mas foi mínimo na segunda partida. Infantil, caiu na armadilha do adversário, covarde como o árbitro que não o expulsou junto. Morremos juntos no Mineirão.

Não se pode negar, no entanto, que honrou o manto nessa centena de jogos que fez pelo alvinegro. Digamos que perto de um Éder Aleixo, Otero é quase invisível. Mas diante de um Tomás Andrade, meu amigo, ele é gigante. E é aí que eu queria chegar. O que podemos esperar desse 2018? Vale lembrar que só temos o Brasileirão e, portanto, nem válvula de escape sobrou: ou sonhamos com a glória, ou corremos o risco de ver o ano passar… E aí, presidente? Qual é a sua? Vai reforçar o elenco para buscarmos a vaga na Libertadores ou vai desmantelar o time para termos que aturar ‘a série B continental’ novamente? Com que cara o senhor vai no sorteio se isso acontecer, hein?

Será que a diretoria não enxerga que só temos um ‘probleminha’ em 2018? Não temos elenco e o Brasil inteiro sabe disso. O time titular é bom, mas dá uma olhada no banco pra você ver como a coisa fica preta! Está pior do que conta de desempregado. Estamos trabalhando no vermelho desde o início do ano. O tal Sette não percebe que falta reposição para as laterais, para a zaga, para o meia e para o ataque? Escala o time reserva (socorro!) do Galo e vê onde conseguimos chegar? Assistimos a isso algumas vezes no ano. Erik? Tomás Andrade? Patric? Arouca? Alerrandro??????

Ao invés de melhorar o elenco, vamos conseguir piorar? Ou o senhor presidente vai anunciar o Hernanes? Se sim, paro a crítica por aqui. Aí tiro o meu chapéu pela primeira vez em seis meses para o tal do Sette. Mas e se o Hernanes não vier? Vamos pensar em que? Faltam cinco jogos para a pausa antes da Copa do Mundo e a tabela é bem favorável. Mas e depois? Faltarão mais 26 jogos e aí o bicho vai pegar. Só pra começar, Grêmio e Palmeiras fora de casa na primeira semana pós-Copa. E aí?

Ok! Vamos combinar que por 5 milhões de euros, o empréstimo, se visto apenas pelo lado financeiro ou administrativo, é muito bom. Os árabes têm a opção de compra no final de um ano por mais 6 milhões de euros, o que daria um total de R$ 47 milhões. Nada mal para um pequeno grande jogador. Sim, a Massa sabe que não se trata de um craque ou algo parecido.

Mas e o futebol? Como fica? O Brasileiro é a segunda divisão de que mesmo, meu caro Seven – nosso presidente parece querer cometer todos os pecados possíveis enquanto estiver sentado àquela cadeira na sede de Lourdes. Sai daí, meu caro. Esse lugar não lhe pertence.

E como notícia ruim não anda sozinha, logo veio a bomba: pro lugar de Otero, Gallo quer Denílson, do Vitória. Parei. Só se for o Gallo mesmo. Porque o Galo, da Massa, do povo e de tantas glórias, não quer Denílson nenhum. Nem se fosse aquele chato da Band, que até jogou bem no São Paulo, quereríamos. Acho eu que enquanto tiver Gallo e Sette no comando, vamos ter que reforçar a cada semana os votos de confiança em Deus. Porque, sinceramente, é melhor acordar e não ter notícia alguma do time.

Vamos lá, Seven. Esqueçamos o Otero e sigamos com o que temos então. É verdade que apesar de você, o time anda bem em campo. E olha que ironia do destino: comandado por um baita profissional que o senhor e sua turma não têm a hombridade de contratar. Cadê o contrato do Larghi, meu Deus? Estão esperando o que para efetivar logo o menino? Hoje temos padrão de jogo, posse de bola, jogadas efetivamente ensaiadas, apesar da falta de elenco – o que, pelo jeito vai só piorar. Isso é mérito exclusivo do Larghi, presidente. Não é seu, nem do Gallo. E a Massa sabe disso!

Nem vou comparar com Aguirre, Roger e Oswaldo, porque vai ficar até chato. A Larghi, o que é de Larghi, seu Sette (Saravá)! Com certeza, deve ter uma caneta na sua mesa. Sua não, nossa, porque você mais cedo ou mais tarde sai de cena. Antes que a Massa acorde com a notícia de que foram embora também Blanco, Bremer, Victor, Luan, Ricardo Oliveira, Cazares e a turma toda. O atleticano nasce amando o Galo acima de qualquer coisa e com o verbo acreditar em mente, presidente. E carregamos esse amor e o ‘eu acredito’ conosco, incondicionalmente. Para esse ano, precisamos acreditar que você sai antes do resto do elenco! Para nossa alegria!!!

Foto – www.lance.com.br

Compartilhe!
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares

Deixe sua Opinião