Libertadores, nunca vi…

Como eu queria ter sido convidado para escrever sobre um momento de glória do Flamengo. Como eu queria… Só que ultimamente esses momentos estão sendo cada vez mais raros!

O ano de 2013 carregamos  literalmente aos trancos e barrancos, onde a própria torcida já não tinha mais forças para empurrar e nos deparávamos com a casa vazia, até que vimos uma Copa do Brasil cair em nosso colo no momento em que mais precisávamos. Ok! Começa o ano de 2014 com novas esperanças e novas metas, sendo uma delas a tão sonhada Taça Libertadores da América, onde nosso único momento de glória foi no distante ano de 1981, o qual muitos torcedores não viram, inclusive o que vos escreve.

Acontece que o time parece viver momentos bem diferentes para os torcedores que o acompanha, que vêem um Flamengo batalhador, guerreiro, vencer uma partida extremamente difícil contra um Emelec que não perdia há 2 anos dentro de sua casa. Vestem seus mantos e animados saem 60mil torcedores de suas casas para assistir esse Flamengo que viram na semana passada, com garra, com vontade, querendo mostrar sua grandeza.

Só que não! Assistem a um time pouco esforçado, tendo que queimar uma substituição aos 12min, um time que não consegue sequer ajustar uma marcação individual e um time que erra inúmeros passes, podendo citar o individuo de nome ‘Muralha’.

E, se falarmos nome por nome, rapidamente vem à cabeça um nome: Léo Moura… Ah! Léo Moura, o Sr que é visto como ídolo por maior parte da nação rubro-negra, já vestiu muitas vezes esse manto, já levantou inúmeros troféus, hoje é lembrado por mim e por mais 60mil que o vaiaram ontem no Maracanã como o jogador que mais vezes foi eliminado da Libertadores. Sim, essa é a imagem q o Sr transmite no dia de hoje.

Onde, mais um ano, teremos que nos contentar com o fraco Campeonato Carioca. Digo isso pois não vemos o jogo de domingo como clássico, e sim como obrigação.

Henrique Takao
Nada do Flamengo, tudo pelo Flamengo.

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião