A maldição da lateral direita

Lá se vão quase dez anos desde que tivemos a última unanimidade na lateral direita. Cicinho vestiu a camisa 2 de tal forma que ninguém poderia contestar. E foi embora. Desde então, apenas Ilsinho chegou perto da unanimidade. De resto…

Com muito esforço mental, fiz uma relação da maioria dos jogadores que atuaram por lá, sejam eles laterais de ofício ou improvisados.

Foram eles: Souza (que também atuava como meia), Zé Luís (também como volante), Reasco, Jancarlos, Zé Luís (também volante), Éder Sciola (aquele que veio do Noroeste), Saavedra (chileno que não teve sequer oportunidades), Jean (também volante), Piris (chileno que se auto-intitulava o melhor marcador da América), Douglas (que hoje atua ao lado de Messi), Caramelo (também sem oportunidades), Luís Ricardo (melhor lateral do campeonato brasileiro pela Portuguesa), Paulo Miranda (zagueiro), Auro e Húdson (volante).

Bom, de certo esqueci alguém que também atuou por lá em algum momento, mas com essa vasta listagem já dá pra entender o drama que temos pelo lado do passageiro. Nem mesmo o próprio Cicinho, em seu retorno, conseguiu emplacar. O mesmo aconteceu com Ilsinho.

Se contarmos apenas 2014, já tivemos cinco responsáveis pela posição: Douglas, Paulo Miranda, Luís Ricardo, Auro e Húdson.

A questão é uma só: O que acontece nessa lateral direita??

Auro, que parece ser o mais apto a corresponder por ali, pecou seguidamente na marcação e acabou sacado para não termos mais uma promessa queimada. Isso porque nossa zaga horrorosa exige recomposição dos laterais. Caso tivéssemos dois zagueiros decentes ou atuássemos com o esquema de três zagueiros, Auro seria titular absoluto. Bola pra isso ele tem, mas a atual composição da equipe não o ajuda.

Húdson vem fazendo o feijão com arroz bem feito. Agora, o que todos sabemos é que Paulo Miranda não dá. Foram inúmeras as lambanças feitas por este rapaz nas últimas vezes que atuou por lá (Figueirense, Chapecoense..).

Frente ao Emelec, uma partida tranquila e plenamente controlada se transformou em perigosa após o intervalo com a alteração de posições. Sua modificação deu ruim, Muricy. Poderia ter recuado o Michel para atuar como volante, colocar o Boschilia, ou qualquer coisa que não fosse mudar o que estava dando certo, Húdson na lateral e Paulo Miranda na zaga, onde não compromete tal como na lateral.

No finalzinho do jogo, Muricy tirou Paulo Miranda e sabia que a vaia seria estrondosa. Não precisava. Sacanagem!

A verdade é que, até nomearmos o lateral ideal, Húdson me parece a opção menos preocupante para o esquema atual.

Ahhh 2005, que saudades…

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião