Na medida da paixão

Cheguei a dizer ontem, nas resenhas, que achava que o Cruzeiro tinha uma em dez chances de passar das Oitavas.
Aquele futebolzinho sem sal nem doce que vinha jogando era de dar dó.
A bem da verdade é que o Cruzeiro não havia feito sequer um bom jogo em todo esse ano.
Foi o primeiro bom jogo do Maior de Minas nessa temporada. Foi nossa estreia, um ‘Feliz 2015’.
Tipo assim.
(pano rápido)
Willian chiou uma bola na direita tipo Everton Ribeiro, atrás da zaga.
Mayke levantou a cabeça e teve a paciência em servir, tipo Aristizábal.
E Damigol estava bem posicionado como sempre, como ele mesmo.
Além disso, em dado momento havia 18 finalizações do Cruzeiro contra uma dos Bambis.
Daí vieram os pênaltis.
Daí veio Fábio, Gigante, Paredão.
Como já o havia sido no Morumbi. Pegou dois, fez medrar um terceiro que mandou a bola lá em Sampa.
Foi sofrido, nos pênaltis, com o Cruzeiro errando dois. Mas foi!

Aí nêgo (tipo eu!) esquece de tudo.
Pensa que o Marquinhos é indispensável.
Willian Bigode não pode sair mais do time.
Mena, então, nem se fale.
Isso porque eles jogaram muita bola hoje. Logo esses três, os mais criticados, acabaram com o jogo.
Então são craques indiscutíveis, certo?
Marcelo é o nosso Alex Ferguson, correto?
Errado!
Acharam a forma de marcar o Cruzeiro.
Marcelo foi medroso de novo.

Mas a camisa pesou.
La Bestia Negra se fez ser temida de novo!
E os Bambis sucumbiram.
Que me desculpem meus bons amigos são-paulinos, mas ‘até logo, um abraço, até mais ver’…
Porque a imprensa paulista, os dirigentes tricolores, todos esses já previam encontros mais à frente entre seu time e outros demais. Tchau e bença, como diria a minha avó!
Agora é o seguinte: se o Cruzeiro for esse que estreou hoje nos jogos que hão de vir, então se virem pra segurar o Cruzeiro.
Se for o mesmo de outrora, previsível, aí é aquela história de sempre.
O tempo nos dirá.

Sobre hoje, complemento com o seguinte: a medida de amar é amar sem medida, diria Santo Agostinho.
Hoje, agora, o Cruzeiro é o maior do mundo.
Já prevejo Cruzeiro x Juventus na final do Mundial Interclubes, e tals.
Mas não há verdade no mundo da bola que dure um mísero dia. Não é verdade, Bambizada?
Se não for assim, não é futebol.

Ahh, já ia me esquecendo. Só pra completar: nossa camisa é Penalty. A sua, bambi, já foi…

Dá-lhe, Cruzeiro!

Abraços a todos, saudações celestes, fiquem com Deus!
Até a próxima!

por Rogério Lúcio
Twitter: @rogeriolucio77

(Foto: Gualter Naves/Ligth Press)

Compartilhe!
  • 27
  •  
  •  
  •  
  •  
    27
    Shares

Deixe sua Opinião