O futebol das Suas Majestades

Definitivamente 2015 é o ano mais louco do futebol. As maiores e mais importantes notícias nas páginas esportivas de todos os jornais, não é sobre o craque da rodada, o gol mais bonito, o placar mais elevado, mas sim, a lambança mais extraordinária de Suas Majestades: os juízes.

 

Há tempos que eles não apareciam tanto. Como também nunca apareceram como nos dias de hoje. Não há uma rodada em que o personagem principal seja o famoso homem de preto. E a cada rodada estão se superando. Não estou nem me referindo aos erros que eles cometem, pois não se sabe ao certo se realmente erram por não estarem bem colocados em campo ou se existe alguma intenção por trás de cada apito.

 

O certo é que é muita autoridade para um grupo de 4 pessoas, que podem fazer o que bem entender, prejudicar a que bem lhe interessar e na próxima rodada, já estarão em campo novamente, como se nada tivesse acontecido. O agravante deste ano é que eles se tornaram, além de autoridade, Majestades. Verdadeiros Reis do futebol. Ninguém pode se dirigir a eles sem a devida reverência.

 

Quem não lembra a imagem do quarto árbitro se esquivando do toque do Osório quando o segurou pelo braço. Parecia que um ser totalmente infectocontagioso tivesse tocado o braço do mais puro e intocável dos seres da terra.

 

O que não dá pra entender é porque eles “erram” tanto e nada lhes acontece. Só que não acredito que seja erro de fato. Pois não tem cabimento o sujeito enxergar dois lances semelhantes e tomar duas atitudes totalmente diferente.

 

Eu sempre ouvi falar que juiz bom é aquele de quem nem se fala durante uma partida de futebol. Mas o que se vê hoje em dia é exatamente o contrário. Quatro autoridades máximas, que não sabem interpretar o verdadeiro sentido do futebol e ainda se acham os donos da verdade, abusando de um poder que lhes fora dado e atrapalhando o verdadeiro espetáculo, que é o futebol.

 

Cito abaixo uma súmula descrita pelo soprador de apito Raphael Claus, num jogo do Flu contra a Chapecoense, no qual anulou um gol legítimo do tricolor e ainda marcou um pênalti para o adversário, que jogava em casa, aos 44 do segundo tempo.

 

Leiam o que esses imbecis escrevem na súmula:

Descrição: Após o término da partida expulsei de forma direta o sr. Lucas Gomes da Silva, nº 32 da equipe Fluminense Football Club, por vir em direção do quarteto de arbitragem proferindo as seguintes palavras: “você está de sacanagem, vocês ganharam o jogo para eles hoje”. Comunico ainda, que o atleta expulso segurou em meu braço antes de proferir as palavras e o mesmo precisou ser contido por seus companheiros de equipe.

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião