O G4 ainda é possível

O Inter segue na luta por uma vaga na Libertadores 2016. Apesar do revés contra o Goiás, seguimos vivos em busca do G4.

Ao se olhar a tabela, percebe-se que é possível terminar na quarta posição do Campeonato Brasileiro e almejar algo maior para próxima temporada.

No papel, os jogos do Inter não são mais difíceis que os jogos do São Paulo, que está logo acima do Colorado, ocupando a quinta posição.

Tudo dependerá de um jogo emblemático: O grenal do dia 22 de novembro. Se perdermos, esqueçam a Libertadores da América!

O problema é que o Inter insiste em alguns jogadores que não morrem de amores pelo Inter e não demonstram vontade para jogar no clube Campeão de Tudo.

São os casos de Réver e Anderson, outrora, idolatrados no co-irmão, mas o mesmo não ocorre no Internacional.

Réver até acha uns golzinhos de vez enquanto, assim como outro zagueiro, o Paulão. Mas a principal missão de um zagueiro é o desarme e a marcação e tanto Réver como Paulão são lentos e têm falhado muito.

Porém, Paulão, eu até não condeno. Todos sabem das limitações de Paulão, mas Réver foi o capitão do time campeão da Libertadores 2013 e poderia jogar bem mais do que tem jogado ultimamente.

Anderson é o caso pior! Jogador caro, com contrato longo e queridinho do Presidente Piffero, que na época de Aguirre já obrigava a escalação desse jogador assim como Argel é obrigado a escalá-lo em detrimento de Alisson Farias, por exemplo.

É evidente que Anderson não está nem aí para o clube que o repatriou!

Herói da maior façanha da história do Grêmio, a conquista da Série B sobre o poderoso Náutico, e identificado com os bi-rebaixados do Humaitá, Anderson se arrasta em campo apenas esperando o dia 5 do mês e raramente tem lampejos de bom futebol.

Anderson é o antônimo do capitão D’alessandro que muitas vezes joga no sacrifício, mesmo lesionado, de tão colorado que é e por amar o clube que mais se identificou na carreira.

Há quem diga que Piffero, além de proteger Anderson, não se dá muito bem com D’alessandro e estaria fazendo um esforço para convencê-lo de sua venda para um clube chinês ao final do ano e efetivar Anderson com a camisa 10.

Apesar de tudo eu acredito… não! “Eu acredito” é coisa de Galo depenado! Eu confio numa classificação para primeira fase da maior competição da América, pois não vejo o São Paulo, nosso maior adversário neste fim de ano, com um time melhor do que o Internacional.

Imagem: www.internacional.com.br/

 

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião