Os quatro gols de Fred…Flintstone, Astaire, Mercury, Krueger

Ao fazer quatro gols em jogo de Libertadores da América, o cara vira mesmo personagem…o centroavante atleticano Fred foi tão espetacular contra o Sport Boys, da Bolívia, que fez o torcedor do Galo ter a sensação de assistir ao jogo envolto a um gibi ou a uma tela de cinema…

…portanto, para cada bola na rede, o camisa 9 atuava, evidentemente, como um novo personagem…

…no primeiro, o de empate em 2 a 2, naquele sufoco, foi “Fred Flintstone”…a bola veio ao seu encontro correndo, lépida como o Dino…ambos se tocaram e aquela “lambida” foi doce, decisiva e de desviar a atenção…ao arqueiro, só restou a certeza de que, entre as redes, estavam os saborosos bifes de brontossauro…foi fácil ouvir, então, o eco daquele vozeirão: “Ôooo Wilmaaaa!!!”…

…no segundo dele no jogo, o terceiro do Galo, o da virada, foi um exímio dançarino, ao deslizar para alcançar aquela bola cruzada na área…foi a vez de “Fred Astaire”…bailou com uma classe e uma técnica incomparáveis…o gramado do Horto era para ele o tapete da Broadway…

…no terceiro, que decretou o 4 a 2, subiu de cabeça como numa daquelas performances energéticas simbólicas do ídolo que preenche o “palco” com a sua presença…foi o gol com a sonoridade de “Freddie Mercury”…o som do barbante era como a palhetada na guitarra romântica…uma declaração de amor à Massa: “Love of my life…”

…no quarto e derradeiro momento, o do placar final em 5 a 2, o golaço de fora da área, com aquele chute colocado, fez o goleiro boliviano Carlos Arias ter a convicção de que estava diante de um pesadelo…como o Lorde do medo, foi “Freddy Krueger”…convenhamos, o goleador estava mesmo “da Hora”…

…bom, dá pra dizer que Robinho foi também personagem fundamental, pois marcou o primeiro do time e infernizou a defesa adversária…assim, para cada gol, mais uma bela página da história atleticana na Libertadores…o Horto, sua mística e seus personagens…viva o futebol!…

Imagem: reprodução Youtube

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião