Pelo capricho na hora do….

É inegável que a volta de Luan agregou muito mais qualidade ao ataque. A produção ofensiva melhora e quem joga ao seu lado também. É o caso de Miller Bolaños, que teve boa atuação contra o Atlético-MG.

Ao mesmo tempo em que teve inúmeras finalizações, o Grêmio não conseguiu convertê-las em gols. O empate em 1 a 1 foi um balde de água, porque se a equipe tivesse aproveitado pelo menos mais uma ou duas situações, confirmaria a vitória e estaria de volta ao G-4. Além disso, ainda sofreu um gol aos 41 do segundo tempo (aí é dose).

Está mais do que na hora de melhorar o rendimento nas conclusões. Ter calma na hora de arrematar. Ficou evidente diante do Galo Mineiro que a equipe se mostrou afobada em alguns minutos para tentar resolver o jogo. Já dizia o ditado que a pressa é inimiga da perfeição.

Em razão da ansiedade, desperdiçamos a chance de retornar à zona de classificação à Libertadores. Menos mal que ainda tem o duelo atrasado com o Botafogo, no Rio de Janeiro. Um adversário que briga para se distanciar da zona do rebaixamento.

Portanto, é mais um daqueles jogos em que a vitória é obrigação, independente das dificuldades, entre elas os desfalques de Marcelo Grohe, Geromel e Bolanõs, que estão com as seleções brasileira e equatoriana, respectivamente.

Depois, o Tricolor sai para jogar contra o Coritiba e recebe a visita do Palmeiras. Ou seja, os rumos no Campeonato são decididos a cada rodada. Não se pode adiar a possibilidade de nos mantermos na briga pelo título. Só que é preciso acertar o gol.

De nada adianta ter 15 finalizações, por exemplo, se nenhuma entrar. Foi assim contra América-MG e Santa Cruz, que resultaram em empates sem gols e frustrantes para as pretensões do time do técnico Roger Machado. O momento não permite vacilos, seja no ataque ou na defesa. Tem a oportunidade, liquida a fatura, mas com eficiência. Apesar dos tropeços, principalmente diante de equipes da parte debaixo da tabela, seguimos tendo regularidade.

Pior é o lado vermelho do Rio Grande do Sul, que vive a amargura da campanha ruim, que só poderia dar no que deu: a zona do rebaixamento. Acharam que não poderia chegar lá, mas lá estão. E vai ser uma peleia para sair. Com um futebol pobre e sem criatividade, o time da Beira do Rio já dava sinais de um grande descenso na competição. Portanto, não há nenhuma surpresa nisso.

Saudações tricolores!!

Foto: Roberto Vinicíus/Agafoto

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião