Pobre São Paulo, pobres paulistas

Fizemos a quina! Forte e vingador, como manda a sua essência, o Galo ignorou a política do café com leite e tratou de ser cruel com a turma do Tietê nesse primeiro turno do Brasileirão. Com cinco vitórias, deixamos para trás Corinthians, Santos, Palmeiras, Ponte Preta e agora o São Paulo. Pode entregar a taça que o Paulista é nosso! Mas queremos mais. Queremos o Brasileiro!

O Tricolor quis mudar essa história. Nosso algoz na Libertadores deste ano tentou jogar água no nosso chopp novamente. Até saiu na frente com o argentino Chávez, meio que sem querer, querendo. De fato, um golaço. Mas aí é que mora o perigo. Quem não aguenta se queimar, não deve mexer com fogo. Nosso repertório é vasto e, de crista alta, viramos em menos de vinte minutos. Maicosuel empatou, após bela jogada coletiva, o que tem virado a marca desse Galo versão 2016.

Para garantir a virada e a vitória, nada melhor do que o reencontro de Pratto com o barbante. O argentino que exala gol está de volta. Um golaço. A diferença para o gol de Chávez é que esse valeu três pontos na tabela. Depois de vermos Luan balançando as redes no seu retorno, agora foi a vez do hermano. Um gol que serve também como um cartão de visitas para o agora técnico da seleção argentina. Alô, Bauza, olho no Urso!

No segundo tempo, outro herói atleticano entrou em ação. São Victor do Horto fez jus ao apelido e evitou o empate com defesas milagrosas, bem ao seu estilo. O Galo é assim: quando parece que não vai dar certo, escrevemos os principais capítulos de nossa história. E o segundo tempo foi todo assim: parecia que não seria possível segurar a vitória, mas deu Galo. Silenciamos não apenas o Morumbi, mas também aquela parte bairrista da imprensa paulista que não consegue enxergar além do próprio umbigo.

Apesar da quarta vitória consecutiva e de entrarmos, de fato, na briga pelo título do Brasileirão, o jogo no Morumbi serviu também para abrirmos nossos olhos para os costumeiros ‘erros’ da arbitragem, que sempre tenta atrapalhar. Ontem não conseguiram. Até nos tiraram o terceiro gol, mas não os três pontos. Vai anulando gol do Frederico aí, Vuaden, que nós vamos marcando com Pratto, Robinho, Maicosuel, Cazares e Luan.

Com a máquina afiada, o Galo mira o topo da tabela. Dátolo está voltando, Marcos Rocha e Cazares reaparecerão em breve. E com o time completo, podem avisar a ‘paulistada’ que estamos chegando. Hoje eles lideram o Brasileirão, mas ainda temos um turno inteiro pela frente. Para azar deles. Pobres paulistas…

Foto – Twitter Atlético

Compartilhe!
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

Deixe sua Opinião