Por que você vai ver o São Paulo?

Não sei o que dizer.

Ou melhor… tenho tanto pra falar, mas com palavras não sei dizer.

De verdade, como é grande o meu amor por você!

E só.
É o motivo único para que, mesmo chegando em casa encharcado, após mais um fracasso em clássicos, eu ainda te queira tanto.

É a razão única para que eu veja tanta incompetência em campo e fora dele, e continue lá, quarta e domingo.

‘Somos privilegiados, amigo. Vivenciamos a era mais vitoriosa da história desse clube. Só temos que agradecer. Êêê tempo bom!’, foi o máximo que consegui me expressar na saída do Paulo. Que não faz tanta parte assim da nossa história como o Cícero, mas que não merece nos receber com pleitos tão sofríveis como os que recebeu nos últimos anos.

Ahhh que saudades da Amélia. Da Amélia, do Josué, do Leandro Guerreiro, do Borges.

Saudades? M1to, por onde anda você?
Se eu te contar que quem o substitui não seria titular aqui no prédio, você acredita?

Eu só queria um goleiro médio. Laterias médios. Zagueiros milionários que fizessem o médio. Volantes médios. Meia (esse não precisa nem ser médio, pode até ser ruim… eu só queria ter um!), uma linha de frente média e um técnico. Eu queria um time médio. Mas que na média, pudesse arrancar um resultado aqui, outro ali. Não é pedir muito, é?

Camisa já deixou de ganhar jogo. Gastou todo crédito na Libertadores.
Mando de campo, menos ainda. Dizer que tem mais 4 no Morumbi é como dizer que tem mais 4 e ponto.

A água já bate no pescoço.
Mais dois baldinhos, a gente para de respirar.

Eu nunca vi o São Paulo assim. Aquele meu São Paulo, que lota minha gaveta de fardos e história.

Não há perspectivas, dessa vez. Não temos um técnico salvador ou um boi louco por voadoras.

Semana que vem você vai lá de novo?
Vou. Só não me pergunte o porquê.

Imagem: arquivo pessoal

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião