Precisamos conversar, Frederico (#2)

Salve Nação Azul!

Bem-vindo de volta ao lar, Frederico!

Você vai ter que relembrar muita coisa.
Antes de gritarmos seu nome na Toca 3, é necessária uma conversa.
Pode pedir uma gelada (ou não, já que são outros tempos), que o papo vai demorar.
Comecemos pelo início: aqui não é igual lá.
E ponto.

Lá pode passar vergonha.
Cair pro Jorge não-sei-quê.
Comemorar nono lugar.
Apagar a luz para ganhar de time sub-15…
Aqui não!
Não aceitamos menos que títulos.

Esqueça o seu passado recente, Frederico.
Delete os gols e as juras às Lourdinhas.
Não foi isso que te trouxe de volta ao Maior de Minas.
Foi a grandeza daqui.
Você foi mais um dos que pôde comparar com as mazelas de lá, não é…
E ponto.

Isso te trouxe pra cá. Nós te recebemos e apoiaremos. Estaremos juntos.
Aqui é a melhor torcida de Minas, Fred.
É na bola e no grito.
Não tem apito amigo.
E se um dia você duvidou de algo, está na hora de rever os seus conceitos.
Tem uma boa parte da Nação que não queria te ver com o manto.
Esqueça isso também.
No primeiro gol, essa gente vai estar de braços abertos pronta a te acolher.
A 9 é sua.
E ponto.
Inspire-se em Tostão, Marcelo Ramos, Ronaldo.
E em Fred, aquele da média altíssima de gols em 2005 num Cruzeiro sofrível de Gabiru, Weldon e Kelly.

Você tem tudo para escrever aqui as mesmas páginas que ‘ídolos’ da turma de rosa escreveram.
Cerezo, Luizinho, Éder Aleixo… eles só vieram saber o que era bom de verdade quando vestiram azul.
Preto, aqui, só vestimos para ir ao velório.
E ponto.

No fundo, no fundo, você sabe bem disso desde a sua infância, em Teófilo Otoni.
Seu passado não importa, meu caro.
Quando a turma da prepotência vier chorar nas redes sociais e nos microfones da Itatigayla por causa de sua presença entre nós, apenas ignore.
Não dê ouvidos à minoria.
Com elas, resolvemos em campo.

E lembre-se: aqui não tem refletor piscando.
Você se beneficiou disso e sabe do que estou falando.
Agora, Frederico, é hora de reviver o lado bom do clássico mineiro.
Você não veste rosa.

Com Neves e Robinho (verdadeiro!), Frederico, você já larga na frente em qualquer lista para artilheiro do Brasil em 2018. Juntos, vocês trarão para a maior torcida de Minas alegrias sem fim.
Você chega para ser campeão de tudo, Frederico.
Mineiro, das Américas, do Brasil… quiçá, do Planeta!

E aqui você vai entender que esse negócio de ‘eu acredito’ é falta do que gritar.
Certamente vai voltar a se arrepiar com a nossa festa no Gigante da Pampulha, diferente das maquininhas de músicas dos copo-sujos da vida ao qual eles chamam de Horto.
Isso é normal.
Hoje você já é de novo mais um dos nossos.
Já escreve mais uma página heroica e imortal de sua vida.

Por fim, esqueça toda reclamação da nossa torcida nesse momento.
Responda com bola na rede.
Reclamamos até quando Alex veio pra cá.
O chamávamos de Alexotan… que pecado!
Lamentamos muito quando ele se foi.
Ele chegou de mansinho, pulverizou as Cocotas, trouxe títulos e nos ajudou a enfiar goela abaixo delas a tal da estrelinha amarela.
Por nós, hoje, ele jura amor até o fim.

Exemplos você tem de sobra, Frederico.
Reconquiste a Nação e se deixe reconquistar
Agora é a sua vez.
A vida lhe deu essa segunda chance em pleno Natal!
Faça valer a pena.
E ponto!

por Rogério Lúcio
Twitter: @rogeriolucio77

(Texto produzido sobre outro texto, publicado neste mesmo site por Sérgio Monteiro quando da chegada de Fred ao Alt Mineiro, com a devida autorização de seu autor original)

(Foto: Superesportes)

Compartilhe!
  • 899
  •  
  •  
  •  
  •  
    899
    Shares

Deixe sua Opinião