Resultado frustrante, mas normal.

Ah, o Allianz Parque!!!! Pobres daqueles que não podem sentir o prazer da arquibancada lotada. Recorde público no estádio mais incrível do mundo!!!

Por isso, talvez o resultado tenha sido ligeiramente frustrante.

Mas, quando se trata do maior clássico paulista no momento, não se pode deixar de considerar o empate como o mais provável dos resultados. Pelo menos assim é nos últimos 2 anos. Equilíbrio total, sendo que o que mais se repete são os empates.

E é por isso que eu gostaria de me dirigir a um senhor chamado Juca Kfouri. Não há problema nenhum em um jornalista manifestar expressamente sua preferência por determinado clube. Isso é cada vez mais comum no rádio e na televisão. No entanto, existem dois tipos de jornalista. Tem o jornalista profissional mesmo, o de formação… E tem o jornaleiro, aquele que se preocupa mais com audiência e com as tiragens diárias.

O primeiro, mesmo confessando para quem torce, ainda mantém comentários lúcidos, imparciais, enquanto que o segundo é do tipo que declara os placares de 8×0 a favor do seu clube, é o que não enxerga o pênalti claro contra o seu time e etc… É o palhaço, por assim dizer.

O problema é quando o cara é um e finge ser o outro. Pois esse é o sr. Juca Kfouri: um dos maiores babacas da crônica esportiva brasileira, desde os tempos da Revista Placar.

Veja, este cidadão fez o prognóstico de 1×3 para o jogo de ontem. Até aí, tudo bem, por mais estranho que seja… O duro foi a justificativa: “O Santos tem mais bola que o Palmeiras!”

Onde, Juca??? Me explica onde o Santos tem jogado mais bola que o Palmeiras nesse campeonato!!! Um começou o jogo em primeiro na tabela, o outro, em sétimo. Temos mais vitórias, mais gols marcados, menos sofridos, melhor saldo, melhor campanha em casa… Então me fala, cadê a superioridade do Santos? Ah, se liga!!!! Passar vergonha pública depois de velho…

Ora, não havia como negar o favoritismo do Palmeiras, nem mesmo com todos os desfalques. Só não fez isso quem não entende nada de bola ou é o palhaço que citei aí em cima…

Enfim, apesar do favoritismo prévio (que não ganha jogo) do Palmeiras, por jogar em casa, pelo estádio lotado, pela campanha que faz em seus domínios, é fato que o Santos endureceu o jogo e em alguns momentos esteve até mais perto da vitória, sobretudo no segundo tempo e após as lesões de Yerri e Moisés (ALÔ, DEPARTAMENTO MÉDICO!!!! ALÔ, DOUTOR RUBENS SAMPAIO!!! MAIS DUAS, HEIN!!!!!!!!!!!! DIO MIO, ATÉ QUANDO?!?!?!?!)

Agora, é ir até o Beira-Rio, quebrar o incômodo tabu de 1997! Se existe hora melhor pra isso, é essa!!! Seria aquela vitória com cara de time campeão. Daquelas que não se espera em campanhas medianas.

Ah, outra coisa… Arouca… Eu sei que não deve ser fácil jogar em time grande pela primeira vez na carreira. Deve estranhar pisar no gramado com estádio cheio todo jogo. Mas já se foi 1 ano e meio, meu querido… Tá na hora de estrear com a camisa mais pesada do Brasil, não tá não??

Avanti

 

foto: goal.com

 

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião