Sair do G-3 é impossível

A derrota para o arquirrival no domingo é coisa do passado.

O time jogou muito abaixo do que se esperava, levando-se em conta a grande rivalidade entre as equipes. Mesmo depois de sofrer o gol, o Grêmio melhorou, mas não foi o suficiente.

Só que é sempre importante ressaltar: a campanha no Brasileirão é muito boa e, a dois jogos para o fim do campeonato, dá ao Tricolor a confortável condição de permanecer em terceiro.

Apenas uma catástrofe nos tira do G-3. Para isso, seria preciso perder as duas partidas – para Atlético-MG e Joinville – e os adversários que estão atrás tirarem a enorme diferença no saldo de gols. Ou seja, a matemática existe, porém sigamos tranquilos entre os líderes.

É notória a queda de rendimento dos comandados de Roger Machado no segundo turno.

Ao mesmo tempo, a regularidade nos manteve sempre no topo. Já são pelo menos 25 rodadas no G-4, aquele que muitos sonham alcançar.

O próprio lado vermelho do Rio Grande do Sul era favoritaço lá no começo da competição e hoje pena para ingressar na zona da Libertadores da América. Pena porque, desde então, nunca conseguiu alcançar esse objetivo. Além disso, não depende de si para participar do torneio continental em 2016.

Será preciso secar o São Paulo, que enfrenta o Figueirense no Morumbi, e o Goiás, fora de casa, no apagar das luzes do Brasileirão.

Vale ressaltar que não estamos no G-3 por acaso. O trabalho construído por Roger ao longo do campeonato contribuiu para a folga na tabela – a nossa diferença para o São Paulo é de seis pontos.

Se a possibilidade de deixar a terceira posição é remotíssima, dá ainda para sonhar com o G2, por que não?

Entretanto, isso não depende somente do Grêmio. Será preciso vencer o Galo na Arena, no próximo domingo, e torcer por um tropeço do próprio time mineiro contra a Chapecoense na última rodada, em Belo Horizonte.

E a questão financeira pesa neste aspecto. São 2 milhões a mais para o segundo colocado, que recebe R$ 6,3 milhões ante 4,3 milhões do terceiro. O Grêmio surpreendeu o Brasil. Muitos críticos o apontavam como sério candidato ao rebaixamento, só que o desempenho em campo mostrou totalmente o contrário.

A Libertadores bate à porta e a chave de acesso está em nossas mãos. Reforços para disputar uma competição complicada são necessários. Só que o momento é de se concentrar no jogaço contra o Atlético-MG.

Um ponto garante a terceira posição. E eles? Ainda terão de suar muito para almejar a meta. E pode ter certeza que eu, estarei na torcida……secando.

Saudações tricolores!!

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião