Sobre Guerreiros e Granjas

Salve Nação Azul!

China Azul, antes de qualquer coisa um recado: não tentemos encontrar culpados por esse empate meio amargo.
Se faltou perna, sobrou raça.
E se o time tivesse essa entrega há dez rodadas estaríamos, fácil, entre os cinco primeiros.

Depois, há situações de tabela que são difíceis de entender: jogamos no Rio quinta-feira.
Eles jogaram em BH na quarta.
Claro, o cansaço pesou muito pro nosso time.
E depois da expulsão do Mena, então…

Mas vamos lá.
Primeiro, vamos falar da granja: o que tem lá?
Para começo de conversa, tem frango, não é ‘São’ Victor?
Você é uma vergonha para qualquer oratório, seu mão de quiabo!

Também há por lá muitas franguinhas.
E a julgar pela postura dos dois times, algum desinformado que assistiu ao jogo sem noção da tabela pensou certamente que o time de azul busca o título, enquanto o zebrado deseja sair da zona ruim da classificação.
Timeco medroso, desajustado em campo, acuado.
Frangástico mesmo!

Agora, se há um galinho garnizé que me irrita, esse é o tal do Carlos.
Nem sei se é garnizé, parece mais um pato rouco.
Mas tem o dom de encher nosso filó…

Sobre nossos guerreiros, Bruno e Manoel foram espetaculares.
Num dos raros erros de posicionamento do segundo saiu o gol de empate dos rosados.
Willians, Henrique e Ariel dominaram o meio-campo e anularam o tal do Maestrinho…

Willian de novo se esforçou demais.
Foi premiado com o gol, mas faltou ouvir o Zico para sair de campo aclamado como herói.
Esse, meu ídolo desde sempre, conta que se estiver cansado e vai bater pênalti, solta logo uma bordoada que ou vai pra arquibancada, ou será gol.
O moço do Bigode tentou colocar, e num cara frangueiro mas bom pegador de penais, colocar não adianta…

Quanto a culpar Alisson por ser fominha naquele lance, o fato é que ele quis se consagrar.
Fez quase tudo certo, mas finalizou fraco e telegrafado.

Errado no jogo, mesmo, foi o bote mal dado e a ceifada inexplicável do Mena, que foi quem ocasionou nossa derrocada na partida. Jogar com um a menos no campo pesado pela chuva, contra um time mais descansado que o nosso, tinha pouca chance de dar certo.
Foi quase, não fossem por esses pequenos detalhes.

Sinceramente, não fiquei com raiva.
Um pouco frustrado, talvez, pelas circunstâncias.
Mas o time e a torcida são dignos de todo meu elogio.
A se manter essa pegada, essa harmonia com a torcida, podem apostar que terminaremos na primeira metade da tabela.
Sem erro.
De coração, por hoje: parabéns Guerreiros!

Dá-lhe Cruzeiro!

Abraços a todos, saudações celestes, fiquem com Deus!
Até a próxima!

por Rogério Lúcio
Twitter: @rogeriolucio77

(Foto: Gazeta Press)

Compartilhe!
  • 19
  •  
  •  
  •  
  •  
    19
    Shares

Deixe sua Opinião