Tristão. Bora conversar?

Caros Tricolores Tri Mundiais, Hexa Nacionais e da camisa mais bonita do Brasil. Sei que entoamos com muito orgulho num dos nossos cantos de arquibancada o verso: “Nunca fui rebaixado!”, mas do jeito que as coisas estão indo e se nada for feito com urgência, teremos que mudar o canto… Infelizmente…

Após mais uma derrota, ficamos a dois pontos da zona desgraçada… Chegou à temida hora de conversarmos com Tristão Garcia, sim, o engenheiro especialista em estatísticas e análises da classificação do campeonato, com base em cálculos feitos á partir de confrontos, indicies de aproveitamento e outros fatores.

É hora de começarmos a acompanhar o simulador de cada rodada e somar não apenas os nossos pontos, mas também os pontos dos adversários que nos cercam.

Sei que tal prática não faz sentido algum para o nosso perfil vencedor, mas assim como foi em 2013 teremos que assumir esta alcunha de time mediano e saber lidar com os números e todas suas variáveis a cada rodada disputada.

E depois do jogo de ontem, já tratei de fazer minha parte e parti para as simulações, previsões e claro, os cálculos…

Vamos lá:

Para o São Paulo assumir uma posição intermediária, ali no meio da tabela entre a décima ou nona posição precisará de 49 á 52 pontos.

Faltam 15 jogos para o Brasileirão acabar. E destes jogos precisamos da seguinte combinação de resultados para alcançar modestos 49 pontos e eliminar qualquer risco de queda:

5 Vitórias, 6 Empates e 4 Derrotas.

Para buscar esta combinação teremos jogos fundamentais e vitórias mais do que obrigatórias contra:
Figueirense, Cruzeiro, Ponte Preta e Santa Cruz. Todos em casa.

Ainda como mandantes enfrentaremos Santos (no Pacaembu, porém com mando nosso), Corinthians, Flamengo e Grêmio. Destes quatro jogos precisamos de pelo menos mais uma vitória e dois empates.

Fora de casa teremos jogos bem difíceis e acredito que contra os Atléticos (MG e PR) a derrota será certa.
Além destes, enfrentaremos fora também: Chapecoense, Sport, Vitória, América e Fluminense. Pelo menos 4 empates precisam sair destes confrontos.

Ou seja, não tem nada de muito difícil, porém também não há folga alguma. O momento é delicadíssimo devido á todos os acontecimentos e pessoas que todos nós já estamos cansados de saber (e aturar), porém, como torcedores nosso dever é o de apenas apoiar.

Precisamos lotar todos os jogos no Morumbi e fazer com que este time recupere o mínimo de dignidade e vergonha na cara para que possamos ao menos continuar cantando o nosso “Nunca fui rebaixado…”

E para finalizar, se este texto chegar até algum dirigente, funcionário, membro da comissão técnica ou até mesmo jogador, deixo uma reflexão:

Será que não poderíamos voltar a jogar no tão utilizado e glorioso “3-5-2”?

Nossa zaga está bem fraca e acredito que Lugano com sua raça e liderança agregaria muito ao time titular. Com ele poderíamos escalar nosso time da seguinte forma:

MENTIRA no gol

Maicon – Lugano e R. Caio

Buffarini na ala direita, Hudson e J. Schmidt na volância, o novato (e pelo jeito único meia de criação) Jean Carlos e Bastos na ala esquerda (Sim, ele esta sendo um bosta, mas agora não vai poder sair, então vamos aproveitar sua capacidade de chutes e cruzamentos até o ano acabar).

E na frente Cueva e Chavez.

Cueva finaliza mais do que Kelvin e demonstra ser mais objetivo.

Enfim… Agora só nos resta torcer, rezar e calcular.

Portanto meu caro Tristão… Bora conversar?

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe sua Opinião