Tudo está no seu lugar (Graças a Deus)

Salve nação tricolor!!

Enfim, recuperamos a hegemonia no Rio Grande do Sul. A conquista do Campeonato Gaúcho teve um sabor especial. Além de erguer a quarta taça em apenas um ano e meio sob o comando de Renamito Portaluppi, eliminamos eles nas quartas de final.

Eles que chegaram a debochar quando, lembro mais uma vez, chegaram a criar evento em redes sociais para decretar o nosso rebaixamento (rsrsrsrsrs).

O Grêmio está confiante. A cada 27 partidas, Renamito fatura um título. A sua permanência virou sinônimo de um futuro ainda mais promissor.

O ano mal começou e ainda temos três desafios para ser campeões. O lado vermelho pira, esperneia, tenta usar argumentos PÍFFEROS para menosprezar nossas façanhas.

Em 2016, fomos penta da Copa do Brasil e eles caíram para a Série B do Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, veio o tri da Libertadores. E eles? Vice-campões da segunda divisão. Nesta temporada, terminaram a competição estadual na sexta posição.

O Tricolor apresenta o melhor futebol do Brasil. E não sou eu nem você que estamos dizendo. São os cronistas esportivos de todo o País. A troca de passes envolvente, o abafa nos adversários, agregado com a competência de Renamito, nos tornam favoritos e respeitados.

Pode não ser o elenco dos sonhos, mas nosso time se entrega, não desiste, jamais se esconde em campo. De Marcelo Grohe a Jael, os próprios atletas se valorizam diante de suas performances.

Já são dois troféus devidamente posicionados na galeria em quatro meses. Não se trata de soberba ou algo do tipo como o arquirrival gosta de dizer. Fazer o tradicional cântico “Um minuto de silêncio…” os deixou enfurecidos.

Logo eles que protagonizaram cenas como a do filho da Xuxa dançando valsa ou o camisa 10 (que por ora também faz às vezes de juiz) carregando caixão.

Isso só fortaleceu o ímpeto tricolor, que também se encontra nessa fase esplendorosa por ações de seu maior comandante, o presidente Romildo Bolzan.

Exemplo de gestão, de finanças equilibradas, de conseguir muito com tão pouco. Até quando vamos comemorando assim? Não sei, mas hoje não há gangorra nos pampas. E tudo está devidamente no seu lugar.

Alô colorados. Aí vai um pequeno manual para evitar corneta:

Nunca falar “time grande não cai”

Ser campeão na segunda divisão

Não chegar em 6° no Gauchão

Não achar que fosse eliminar o Grêmio no Gre-Nal

Réver (contra)

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Compartilhe!
  • 81
  •  
  •  
  •  
  •  
    81
    Shares

Deixe sua Opinião