Tudo que Sóbis rápido, Caicedo

Bastaram seis minutos de jogo para as Marias darem o ar da graça. Nas redes sociais, é claro. Ali é o habitat natural dessa gente que não sabe o que é rodar a catraca. A turma ‘duladilá’ da lagoa não tem jeito: não consegue conter a histeria ao menor sinal de que vai dar, se é que me entendem. Fazer o primeiro gol para essa gente é o mesmo que ganhar um set. Mas se esquecem que, tanto no futebol quanto no vôlei, o jogo só acaba quando termina. Boston Medical Group na Mariada, urgente!

Está certo que o excesso de confiança de quem veste o azul da arrogância se justifica pelos primeiros vinte, vinte e cinco minutos da peleja. Mas repito: era apenas o primeiro set. Nunca vi um jogo de vôlei terminar 1 x 0. E certamente Fred estava com muita vontade de ir à rede para apagar seu passado. Não vi se o Mano, pobre Mano chegou a dançar como em outros tempos, mas vi Maria buzinando e gritando na janela freneticamente. Ganhar do Galo no Horto é pra se festejar mesmo. Mas é ganhar o jogo, gente. Não o set.

Antes de Fred, tinha Cazares. De falta (ou seria um ace?), como gosta o Fábio – que desta vez nem virou as costas. O goleiro sequer tremeu. Ficou imóvel, de frente, admirando a bola balançar a rede. Opa! Alto lá! Rede no vôlei é ponto para o adversário, não? Fico confuso às vezes, mas tenho certeza que vi o árbitro apitando a nosso favor e a Massa comemorando no Palácio do Horto. Ah, essa arbitragem….

Jogo empatado, mas ainda faltavam dois sets para ver quem sairia em festa pelas ruas de BH. Aí sim, era chegada a hora do Fred, artilheiro pra nós, guerreiro pra quem sonha com sua volta. Eu já vi Riascos partir pra bola, Guilherme deitar e rolar contra elas, Danilinho chapelar e Vanderlei mitar em um só jogo, Paulinho Kiss e Jason definirem estaduais. Vi até o Tucho fazer três gols certa vez. Mas era preciso ver mais.

O atleticano viu a Libertadores com sofrimento e a Copa do Brasil extremamente fácil na final recentemente, mas precisava ver Fred detonar a turma do Barro Preto. Explodir a turma azul que foi ao Horto, assim como Ronaldinho fez no salão de festas, com granada e tudo. E o artilheiro não decepcionaria a Massa. O final seria alvinegro: 3 sets a 1, com sobra. Cazares pensou em fazer o quarto depois de jogada de Robinho, mas alguém o alertou: vôlei acaba no terceiro. Parou ali!

Obrigado, Crüzeiro. Por tremer como sempre. Por ser esse cliente cinco estrelas que não nos deixa desistir quando tudo parece estar perdido. Por não me permitir vir aqui xingar o Roger Machado. Por me fazer acreditar que o ano ainda não está perdido. Joguem a Superliga de vocês aí que vamos nos preparando para a Libertadores agora. Sim, quarta-feira tem mais! Ah, e se você não ouviu, Thiago Neves, posso repetir aqui em letras garrafais: QUANDO TÁ VALENDO, TÁ VALENDO. Sacou?

Foto – www.atletico.com.br

Compartilhe!
  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  
    11
    Shares

Deixe sua Opinião